CartaExpressa

CVM instaura processo para investigar notícias sobre a Petrobras

A decisão surge em um dia marcado por especulações sobre o comando da empresa

Petrobras. Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

A Comissão de Valores Mobiliários abriu um procedimento administrativo para investigar notícias, fatos relevantes e comunicados sobre a Petrobras nesta quinta-feira 4, um dia marcado por especulações sobre uma suposta troca no comando da empresa.

A autarquia não especificou, porém, quais informações estão na mira da apuração.

No pregão desta quinta, as ações da Petrobras passaram por uma forte oscilação. Abriram em alta, entraram em queda com as notícias sobre uma eventual demissão de Jean Paul Prates, voltaram a subir com informações de que o governo Lula (PT) teria chegado a um acordo para distribuir dividendos extraordinários e, por fim, caíram novamente. No fim das contas, as ações preferenciais fecharam em baixa de 1,41%.

Entre as atribuições oficiais da CVM estão desenvolver, regular e fiscalizar o mercado de valores mobiliários, “protegendo o interesse dos investidores e assegurando ampla divulgação das informações sobre os emissores e seus valores mobiliários”.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.