CartaExpressa

Lucro da Caixa sobe 49% e vai a R$ 2,9 bilhões no 1º trimestre

Ativos somaram 1,9 trilhão de reais em março de 2024, aumento de 13,9% em 12 meses

Fachada do prédio da Caixa Econômica Federal (CEF). Foto: Pillar Pedreira/Agência Senado
Apoie Siga-nos no

A Caixa Econômica Federal anunciou nesta quarta-feira 15 que atingiu 2,9 bilhões de reais em lucro líquido recorrente no 1º trimestre de 2024. Esse valor é 49% maior que o registrado no último trimestre de 2023.

Segundo o banco, os ativos Caixa somaram 1,9 trilhão de reais em março de 2024, aumento de 13,9% em 12 meses. A margem financeira alcançou 15,3 bilhões de reais, aumento de 9,9% em comparação ao mesmo período de 2023 e redução de 12,9% em relação ao último trimestre de 2023.

Em um comunicado, a estatal afirma que aumento em 12 meses é influenciado pelo crescimento de 0,2% nas receitas provenientes da carteira de crédito e pela redução nas despesas com recursos de instituições financeiras e oficiais em 18,1%.

No trimestre, as receitas da carteira de crédito alcançaram o valor de 29,3 bilhões de reais, com destaque para os aumentos, em 12 meses, de 3,0% nas receitas em comercial pessoa jurídica e 26,6% em agronegócio.

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar