CartaExpressa

Celular de Torres tinha pedido de golpe, convocação para acampamentos e ‘ameaça a Lula’, diz site

Uma das imagens sugeria o enforcamento de Lula e outros petistas eleitos; no aparelho, constavam também ataques ao ministro Alexandre de Moraes

O ex-ministro da Justiça Anderson Torres. Foto: Sergio Lima/AFP
Apoie Siga-nos no

Imagens encontradas no celular do ex-ministro da Justiça Anderson Torres indicam um alinhamento ainda maior com as pautas golpistas. De acordo com o site Metrópoles, em publicação nesta segunda-feira 18, as fotos traziam pedidos de intervenção militar, convocação de bolsonaristas para os quartéis e até uma ameaça ao presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva.

A foto com a ameaça traz a imagem de uma forca no alto de uma rampa e sugere a morte do petista. “A rampa: os corruptos comunistas que fraudaram as eleições subirão nesta rampa em Brasília construída pelo povo brasileiro”, diz o texto que acompanha a imagem.

Em outra foto, mostra o site, é possível ver que o ministro guardava convocações para os acampamentos em frente aos quartéis. Foi deste local que a maior parte dos golpistas partiu no 8 de Janeiro para depredar as sedes dos Três Poderes. O texto deixa claro a intenção de ‘intervenção’.

“Convocação Nacional. Concentração nos quartéis de todo o Brasil. Exigência para o cumprimento da intervenção federal. Compartilhem ao máximo”, diz o texto da imagem, que traz uma mão com a bandeira do Brasil ao centro. A data apontada para a “concentração” é o dia 2 de janeiro.

Torres também guardava, entre os arquivos, uma cópia de um texto dos clubes militares com ataques ao Supremo Tribunal Federal. Em outra foto revelada pelo Metrópoles, ele mantinha uma falsa acusação contra Alexandre de Moraes por enriquecimento ilícito. O ex-ministro, no texto, cobrava explicações de Moraes sobre uma suposta compra de oito imóveis de 4 milhões de reais cada, sendo que o ministro receberia apenas 39 mil reais de salário.

Por fim, Torres manteve, ainda, ao menos duas fotos com informações falsas sobre as eleições de 2022. Uma delas acusava um descarte ilegal de urnas após o pleito em Porto Alegre. A publicação que circulou nas redes sociais recebeu um selo de fake news. Ainda assim, foi mantida no celular de Torres. Em outro arquivo sobre urnas, o bolsonarista ‘exigia’ o voto dele impresso.

Torres chegou a ser preso por omissão após os atos golpistas, mas foi liberado meses depois, com condicionais. Durante as buscas em sua residência, uma minuta golpista foi encontrada. O conteúdo do documento está alinhado com as imagens encontradas no aparelho do ex-ministro.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.