CartaExpressa

A visão de católicos e evangélicos sobre o 1º ano de governo Lula, segundo pesquisa

O levantamento do PoderData ouviu 2.500 eleitores entre os dias 16 e 18 de dezembro

Lula (PT) fez encontro com evangélicos. Foto: Ricardo Stuckert
Apoie Siga-nos no

Cerca de um ano após assumir o cargo de presidente, Lula (PT) segue aprovado pela maioria dos eleitores católicos e reprovado pela maior parte dos evangélicos. A conclusão aparece nos dados da nova pesquisa PoderData, divulgada nesta quarta-feira 20.

De acordo com o levantamento, a visão dos católicos sobre Lula é positiva: 56% aprovam e 35% desaprovam.

Já entre os evangélicos, parcela do eleitoral com a qual Lula teve mais dificuldade no pleito de 2022, a aprovação é de apenas 30% e a reprovação soma 62%.

Os cenários, se comparados ao levantamento anterior do PoderData, são estáveis. Em setembro, quando a última pesquisa foi feita, Lula tinha 64% de desaprovação entre os evangélicos e 36% entre os católicos. A aprovação somava, respectivamente, 31% e 57%. Os dados, portanto, oscilaram dentro da margem de erro.

Chama a atenção, no entanto, as variações anuais. Lula tinha, em janeiro deste ano, mais aprovação entre os católicos e menor desaprovação entre os evangélicos. Eram 62% os católicos que aprovavam o petista naquela ocasião e 56% os evangélicos que reprovavam o atual presidente.

As mudanças explicam, em partes, o cenário geral, que mostra um empate técnico nos índices de aprovação e reprovação a Lula neste fim de governo. Numericamente, ele ainda tem vantagem e soma 46% de aprovação e 44% de desaprovação no cenário geral divulgado nesta quarta-feira pelo PoderData.

A pesquisa desta quarta-feira ouviu 2.500 eleitores, por telefone, entre os dias 16 e 18 de novembro. A margem de erro estimada no cenário global da pesquisa é de 2 pontos percentuais. Na parcela católica a margem de erro sobe para 3,6 pontos percentuais e na evangélica o índice é 4.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.