Justiça

Justiça proíbe o governo de PE de derrubar muro que dificulta acesso a praia em Maracaípe

O muro é feito de coqueiros e se tornou alvo de críticas de comerciantes locais

Foto: Reprodução/TV Globo
Apoie Siga-nos no

A Justiça de Pernambuco impediu a derrubada de um muro feito de troncos de coqueiros em uma propriedade privada no Pontal de Maracaípe, no município de Ipojuca. 

A decisão do Tribunal de Justiça – em caráter liminar – foi publicada na última segunda-feira 3. Assim, a Agência Estadual de Meio Ambiente está proibida de tomar qualquer atitude para desfazer o muro.

A construção é do ano passado. No fim de maio, a agência estadual determinou a retirada do muro devido a uma série de queixas, especialmente de comerciantes que trabalham na faixa de areia do local. 

O proprietário do imóvel é João Vita Fragoso de Medeiros, citado na decisão como o detentor do direito de “cercar e isolar a sua propriedade”.

A agência argumentou, por outro lado, que o proprietário descumpriria uma licença ambiental para a construção do muro. A Justiça, por sua vez, determinou que o órgão apresente provas no prazo de 30 dias.

O tema vem ganhando força no País após o avanço da chamada PEC das Praias no Senado. A proposta visa repassar a titularidade de áreas costeiras para agentes privados. 

Ambientalistas criticam o projeto e chamam a atenção para os riscos. O relator da PEC é o senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ).

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo