Sociedade

Seca faz Agência Nacional de Águas declarar situação crítica no rio Madeira

Este ano, os níveis de vazão do rio Madeira estão 50% abaixo da média histórica

Rio Madeira é um dos afluentes do rio Amazonas pela margem direita. Foto: Anderson Riedel/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

A Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) aprovou nesta segunda-feira 9 situação crítica de escassez de água no rio Madeira, em Rondônia. A região Norte do país está sofrendo com uma forte seca.

A medida, que vai valer até 30 de novembro, foi uma das medidas indicadas no Plano de Contingência da ANA, para prevenir os efeitos do fenômeno climático El Niño sobre os recursos hídricos do Brasil e mitigar seus impactos aos usos múltiplos da água.

A Declaração de Situação Crítica de Escassez Quantitativa dos Recursos Hídricos no rio Madeira, visa a intensificar os processos de monitoramento hidrológico do Madeira.

O órgão pretende identificar os impactos sobre usos da água e propor eventuais medidas de prevenção e mitigação desses impactos em articulação com diversos setores usuários de água.

Segundo a ANA, a medida também busca permitir que entidades reguladoras e prestadores de serviços de saneamento básico adotem mecanismos tarifários de contingência com o objetivo de cobrir custos adicionais decorrentes da escassez.

Seca no rio Madeira

O rio Madeira é um dos afluentes do rio Amazonas pela margem direita e possui uma área de drenagem de 1,42 milhão de quilômetros quadrados, sendo que 43% dessa área está em território brasileiro e 57% nos países vizinhos – sendo 7,6% no Peru e 49,4% na Bolívia.

O período chuvoso na área da bacia se estende normalmente de novembro a abril, enquanto o período seco vai de maio a outubro, sendo outubro um mês de transição.

Este ano, os níveis de vazão do rio estão 50% abaixo da média histórica.

A seca que a região enfrenta fez o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) decidir acionar as usinas termelétricas Termonorte I e Termonorte II para garantir o suprimento de energia em Rondônia e no Acre.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.