Sociedade

Polícia da Bahia prende suspeitos de envolvimento no assassinato da líder quilombola Mãe Bernadete

Três homens serão investigados por participação no crime. O governo estadual ainda não divulgou os nomes dos presos

Foto: Reprodução/Redes Sociais
Apoie Siga-nos no

Três homens foram presos na Bahia por suspeita de envolvimento na morte da líder quilombola e ialorixá Maria Bernadete Pacífico. O anúncio partiu do secretário de Segurança Pública do estado, Marcelo Werner, nesta segunda-feira 4.

A pasta ainda não divulgou os nomes dos presos, mas confirmou o papel atribuído a cada um deles:

  • o primeiro homem foi preso por suspeita de ser o executor;
  • o segundo foi preso por guardar as armas do crime e por porte ilegal;
  • e o terceiro foi preso por receptação dos celulares da líder quilombola e de familiares, roubados durante o homicídio.

Ainda há divergência sobre a motivação do crime, uma vez que também recai sobre os envolvidos a suspeita de integrar um grupo responsável por tráfico de drogas e homicídios na região. A família da líder quilombola ainda aponta crimes sobre disputa de terras e especulação imobiliária — mesmo motivo da execução do filho de Bernadete, há quase seis anos. 

“Ele [primeiro suspeito] fala o motivo, mas precisamos saber se isso condiz com a verdade. Qualquer informação passada agora pode não ser a verdade”, disse em coletiva de imprensa a delegada-geral de Polícia Civil, Heloísa Brita. 

Na sexta-feira 1º, a Polícia Civil apreendeu duas pistolas, que teriam sido utilizadas no homicídio de Mãe Bernadete, com munições e três carregadores. Os objetos foram localizados em uma oficina mecânica na comunidade de Pitanga de Palmares, na zona rural de Simões Filho, região onde fica o quilombo.

O mecânico que guardava as armas foi autuado em flagrante por porte ilegal de arma de fogo. Segundo a SSP, as duas armas apreendidas são compatíveis com os projéteis recolhidos no local do crime.

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo