Sociedade

PF resgata menina cooptada por garimpeiros para se prostituir em Terra Yanomami

Adolescente, localizada em uma embarcação por agentes federais no rio Mucajaí, em Roraima, relatou que teria recebido proposta para ser “cozinheira”

Operação Libertação resgatou adolescente e mais quatro mulheres em barco em meio ao rio Mucajaí. Foto: Polícia Federal
Apoie Siga-nos no

A Polícia Federal resgatou, na noite desta terça-feira 14, uma adolescente de 15 anos, cooptada por garimpeiros para se prostituir em área de extração ilegal de minério em terras yanomami.

A jovem, que havia sido dada como desaparecida desde o dia 12 de fevereiro, foi resgatada em uma embarcação por agentes federais que monitoravam a circulação de barcos no rio Mucajaí, em Roraima.

Aos policiais, a menina relatou que recebeu uma proposta, por meio das redes sociais, para ser “cozinheira” no local. Ela teria saído para o garimpo em um voo já no dia seguinte ao contato.

Outras quatro mulheres encontradas pelos agentes também afirmaram foram cooptadas por agenciadores para se prostituírem no garimpo.

A Polícia Federal abriu uma investigação para apurar as violências sofridas pela menor e uma possível rede de aliciadores que praticam a cooptação de mulheres para se prostituírem nas áreas de garimpo.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo