Sociedade

Morar Primeiro: Padre Júlio Lancelotti lança projeto de moradia social para a população de rua

O nome é uma referência ao housing first, uma abordagem de política pública que prioriza o acesso imediato de pessoas em situação de rua a moradia

Há mais de 35 anos, o padre Júlio Lancellotti dedica-se a apoiar os mais vulneráveis. Foto: Reprodução/TV Brasil.
Apoie Siga-nos no

Há quase 40 anos atuando em prol da população de rua em São Paulo, o Padre Júlio Lancelotti se junta agora a uma empreitada inédita. Em parceria com o Fundo Fica, uma associação que viabiliza aluguéis no centro de São Paulo para famílias de baixa renda, lançará um serviço de moradia social para população em situação de rua.

Batizado de Morar Primeiro, o projeto adquiriu, em fase de testes, 3 imóveis que irão beneficiar 15 famílias, que moravam embaixo de dois viadutos da Zona Leste de São Paulo. Dois deles ainda estão passando por reformas, a serem finalizadas nos próximos três meses.

O nome é uma referência ao housing first, uma abordagem de política pública que prioriza o acesso imediato de pessoas em situação de rua a moradia, sem exigir que elas cumpram pré-requisitos como abstinência ou tratamento para problemas de saúde mental ou dependência química. Dois exemplos mundiais de sucesso dessa política são o programa “Pathways to Housing” em Nova Iorque e o “Housing First” em Helsinki, na Finlândia.

Na versão paulistana, as famílias contempladas pelo programa começam pagando apenas taxas de água e luz e vão, gradativamente, recebendo os custos sociais de aluguel e condomínio de acordo com a evolução da sua capacidade de pagamento.

“Três semanas depois da mudança, só por já terem endereço fixo, três moradores já conseguiram emprego”, relata Simone Gatti, diretora do Fica. “Esperamos que o impacto seja muito positivo, para que essas pessoas tenham onde morar, com autonomia, dignidade e construindo a própria vida”, completa o Padre Júlio.

Além da escolha, reforma e gestão dos imóveis, o Fica também oferece, em parceria com o Instituto Nossa Jornada uma série de ações de apoio à capacitação profissional, cadastro em programas públicos e outras ferramentas de recuperação financeira dos participantes.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo