Esporte

Morre o narrador Silvio Luiz, ícone da transmissão esportiva, aos 89 anos

Criador de bordões históricos, ele foi um dos mais longevos narradores do País

Foto: Divulgação/Record TV
Apoie Siga-nos no

Morreu nesta quinta-feira 16 o narrador Silvio Luiz, aos 89 anos, em São Paulo, em decorrência de falência múltipla de órgãos.

Um dos mais longevos narradores esportivos da história do País, Silvio participou da cobertura de seis Copas do Mundo e de nove Olimpíadas, além de ter criado bordões que entraram para o imaginário popular. 

“Olho no lance”, “foi, foi, foi ele” e “pelas barbas do profeta” são algumas das expressões imortalizadas por ele. Recentemente, na final do Campeonato Paulista entre Palmeiras e Santos, Silvio Luiz sofreu um derrame enquanto trabalhava na transmissão do jogo para a Record TV.

Desde então, ele foi internado duas vezes. Chegou a se recuperar e voltar para casa, mas, desde a semana passada, estava na UTI.

“O narrador esportivo e jornalista estava internado na UTI do Hospital desde o dia 8 de maio. O Hospital Alemão Oswaldo Cruz lamenta o falecimento. A direção, equipe médica e assistencial se solidarizam com os familiares e amigos neste momento de dor”, disse o hospital em que Silvio Luiz estava internado.

Ele foi diretor de programação da Record e, ao longo de décadas de carreira, trabalhou em veículos como Rádio Bandeirantes, TV Excelsior e SBT, entre outros.

A brilhante trajetória também levou a diversas honrarias. Da Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo ele recebeu dois prêmios. Também levou um Prêmio Comunique-se, em 2012, como melhor locutor esportivo.

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo