Menina trans de 13 anos é espancada até a morte no Ceará

Keron Ravach foi assassinada na madrugada de segunda-feira 4 na cidade de Camocim

Foto: Reprodução/O Povo

Foto: Reprodução/O Povo

Sociedade

A adolescente Keron Ravach foi assassinada na madrugada de segunda-feira 4 na cidade de Camocim, no Ceará.

Keron, que passava por um processo de transição de gênero, foi espancada e atingida com pauladas e socos.

O corpo da jovem, segundo o jornal O Povo, foi encontrado em um terreno baldio no bairro Apossados. Ela faria 14 anos no próximo 28 de janeiro, um dia antes da data em que se celebra o Dia da Visibilidade Trans no país.

O delegado que acompanha o caso, Herbert Ponte, titular da Delegacia de Camocim, afirmou ao O Povo que o principal suspeito do homícidio é um jovem de 17 anos, apreendido quase um dia depois do crime.

De acordo com o delegado, o adolescente já apresentava antecedentes de violência dentro da própria casa. Relatos à Polícia Civil asseguraram que o suspeito já havia tentado matar a própria mãe há alguns meses.

A instituição de ensino onde a jovem estudava, a Escola de Ensino Fundamental Francisco Ottoni Coelho, divulgou uma nota.

“Neste momento de dor e indignação, toda comunidade escolar se solidariza com familiares, amigos e colegas”, diz o texto.

A Associação Nacional de Travestis e Transexuais também se manifestou. “Uma criança trans de 13 anos foi brutalmente assassinada no Ceará. Tendo sido espancada com chutes e pauladas. Mais uma vida trans perdida prematuramente em função do ódio e da transfobia, já nos primeiros dias de 2021″.

 

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem