Justiça autoriza Mariana Ferrer a voltar a comentar acusação de estupro nas redes sociais

A influenciadora estava proibida de comentar o processo criminal contra André de Camargo Aranha

A Influenciadora Mariana Ferrer. Foto: Reprodução/Instagram

A Influenciadora Mariana Ferrer. Foto: Reprodução/Instagram

Justiça,Sociedade

A Justiça de São Paulo derrubou a liminar que impedia a influenciadora Mariana Ferrer de fazer postagens nas redes sociais sobre o processo criminal no qual acusa André de Camargo Aranha de estupro de vulnerável. A informação é da Folha de S.Paulo.

O empresário havia requerido que Mariana fosse proibida de comentar sobre o caso no Instagram e no Twitter. A decisão também determinou que ela apagasse as postagens antigas, uma vez que o caso corria sob segredo de justiça.

 

 

Na nova decisão, o juiz Luiz Henrique Lorey entendeu que havia uma contradição no pedido da defesa de Aranha, já que anteriormente havia sido requerido o levantamento do sigilo do processo.  

“Eventual excesso em postagens nas redes sociais possibilitam a promoção de demandas autônomas, objetivando compensação financeira em razão de eventuais ofensas cometidas, não cabendo ao Poder Judiciário, a princípio, a limitação indevida do direito democrático de livre manifestação”, escreveu. Aranha pode recorrer da decisão.

Mariana acusa o empresário de tê-la dopado e a estuprado em uma festa em Florianópolis, em 2018. Aranha nega o crime e diz que a relação foi consensual. 

A Justiça absolveu o acusado em primeiro e segundo grau. Mariana ainda pode recorrer aos tribunais superiores. 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem