Sociedade

Jacarezinho amanhece cercada pela polícia em reedição das UPPs

Governo do Rio de Janeiro deu início nesta quarta-feira ao programa Cidade Integrada, programa divulgado em maio de 2021

Momento em que PMERJ começa a entrar na favela do Jacarezinho.

Foto: Reprodução/Redes Sociais
Momento em que PMERJ começa a entrar na favela do Jacarezinho. Foto: Reprodução/Redes Sociais
Apoie Siga-nos no

A favela do Jacarezinho, no Rio de Janeiro, amanheceu cercada por policiais nesta quarta-feira 19. A operação, segundo informações oficiais, faz parte do projeto do governo do estado de reedição das Unidades de Polícia Pacificadora, as chamadas UPPs, criado em 2008.

De acordo com relatos de moradores compartilhados nas redes sociais, o cerco iniciou ainda na noite de terça-feira 18 e avançou durante toda a madrugada. O local é o mesmo onde, em maio de 2021, policiais executaram 29 pessoas na operação mais letal da história do Rio de Janeiro.

Segundo informações do governo de Cláudio Castro (PL), participam das operações desta quarta, cerca de 1.200 agentes. Além de Jacarezinho, o governo não informou quais serão os outros alvos do novo programa.

“Damos início a um grande processo de transformação das comunidades do Estado do Rio. Foram meses elaborando um programa que mude a vida da população levando dignidade e oportunidade. As operações de hoje são apenas o começo dessa mudança que vai muito além da segurança”, escreveu o governador em suas redes sociais.

Na prática, no entanto, o projeto das UPPs no Rio de Janeiro foi duramente criticado por especialistas ao longo dos anos em que esteve em vigor. As operações realizadas durante o período foram marcadas pelo alto grau de violência, marcando negativamente a vida de moradores das favelas do estado. A intenção de reeditar o ineficiente projeto já havia sido adiantada por Castro em maio de 2021.

Nas redes sociais, o portal Voz da Comunidade informou que a operação já foi iniciada, mas que, apesar do temor dos moradores, até o momento não há relatos de tiros no local.

O deputado David Miranda (PSOL-RJ), nas suas redes sociais, criticou a operação e garantiu que pretende se reunir ainda nesta quarta-feira com Castro para discutir a transparência do projeto.

“Começaram a chegar relatos de invasões de casas de moradores do Jacarezinho. PMERJ não aceitaremos truculência contra a população. Vamos pedir reunião emergencial com Cláudio Castro para entender do que se trata esse projeto construído sem transparência”, escreveu o parlamentar, que é nascido no local.

De acordo com a TV Globo, o governador deve também se reunir com o prefeito da cidade, Eduardo Paes (PSD).

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.