Crianças de Belford Roxo foram mortas por traficante após suposto furto de passarinho, diz polícia

Allan, Lucas e Matheus desapareceram em 27 de dezembro. Segundo a Polícia Civil, o inquérito está prestes a ser concluído

Os meninos Lucas, Alexandre e Fernando desapareceram em 27 de dezembro no Rio de Janeiro. Créditos: Reprodução / Redes Sociais

Os meninos Lucas, Alexandre e Fernando desapareceram em 27 de dezembro no Rio de Janeiro. Créditos: Reprodução / Redes Sociais

Sociedade

A Polícia Civil do Rio de Janeiro afirma ter desvendado o desaparecimento de três crianças em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Segundo o secretário estadual da corporação, Allan Turnowski, Lucas Matheus, de 9 anos, Alexandre Silva, de 11, e Fernando Henrique, de 12, foram mortos por traficantes da facção criminosa Comando Vermelho por suposto envolvimento em um furto de passarinhos.

 

 

“Os traficantes do Castelar mataram essas crianças autorizados pela cúpula da facção criminosa”, disse Turnowski em entrevista à TV Globo.

Segundo a polícia, o responsável pelas mortes teria sido Willer da Silva, conhecido como Estala, um dos chefes do tráfico na região do Castelar. Ele havia pedido ‘autorização’ a chefes que estavam presos para cometer os crimes, mas não mencionou que as vítimas seriam três crianças. Por isso, depois dos assassinatos, Silva foi morto por traficantes do mesmo grupo no complexo da Penha, na zona norte do Rio.

Já o mandante seria Wilton Carlos Rabello Quintanilha, o Abelha, que estava preso na penitenciária Vicente Piragibe, no complexo de Gericinó, em Bangu. Em 27 de julho ele deixou a a cadeia, mesmo tendo ordens de prisão em vigor, por um esquema de corrupção na secretaria estadual de Administração Penitenciária.

Os meninos, que moravam na comunidade do Castelar, saíram para brincar em um campo de futebol em 27 de dezembro de 2020 e não retornaram. As últimas imagens das crianças foram feitas por uma câmera de segurança no bairro Areia Branca, também em Belford Roxo. Lucas, Matheus e Alexandre aparecem no vídeo caminhando juntos.

O inquérito sobre o desaparecimento das crianças deve ser finalizado nas próximas semanas, segundo a polícia.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem