Sociedade

Bombril é acusada de racismo após relançar esponja de aço Krespinha

A hashtag #BombrilRacista ocupa um dos primeiros lugares de assuntos mais comentados do Twitter

Créditos: divulgação
Créditos: divulgação

A Bombril é alvo de críticas nas redes sociais nesta quarta-feira 17. O motivo: a empresa relançou uma esponja de aço de nome “Krespinha”. A marca vem sendo acusada de racismo por utilizar como nome do produto um termo associado pejorativamente ao cabelo dos negros.

Disponibilizado no site oficial da marca e divulgado em plataformas como o Twitter e o Facebook, o item de limpeza já foi apagado em ambos os sítios. No site da empresa, o produto é anunciado da seguinte maneira: “A Esponja Inox Krespinha é perfeita para a limpeza pesada. Remove sujeiras e gorduras de um jeito rápido e eficaz, sem esforço. Resistente e não enferruja”

O nome “Krespinha” já havia sido usado historicamente na indústria em 1952, quando a S.A. Barros Loureiro lançou um produto similar cujo logo era uma menina negra – personificando o item na mulher, portanto.

A hashtag #BombrilRacista ocupa um dos primeiros lugares de assuntos mais comentados do Twitter.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!