Aos 95 anos, morre a mãe da ex-presidente Dilma Rousseff

Dilma Jane Rousseff faleceu em Belo Horizonte. A ex-presidente está voltando da Inglaterra para o enterro

Foto: Instagram Dilma Rousseff/Arquivo Pessoal

Foto: Instagram Dilma Rousseff/Arquivo Pessoal

Sociedade

Dilma Jane Rousseff, mãe da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), morreu na manhã deste sábado 13, em Belo Horizonte. Ela tinha 95 anos e enfrentava problemas de saúde. 

A ex-presidente estava em uma viagem à Inglaterra, mas deve retornar em breve para o enterro da mãe.

No Twitter, Manuela D’avila e Eduardo Suplicy lamentaram a morte de Dilma Jane Rousseff. 

Dilma Jane nasceu em Nova Friburgo (RJ), mas mudou-se ainda jovem para Minas Gerais. Em Uberaba, casou-se com o advogado búlgaro Petar Russev. Eles tiveram três filhos: Igor, Dilma Vana e Zana Lúcia. 

Visita a Lula em Curitiba

Na quinta-feira 11, a ex-presidente visitou Luiz Inácio Lula da Silva na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde o líder do Partido dos Trabalhadores está preso desde abril de 2018. 

Na ocasião, Dilma afirmou que as revelações do site The Intercept sobre a atuação dos procuradores da Operação Lava Jato e do ex-juiz Sergio Moro “colocam um problema seríssimo para a Justiça brasileira”. Para Dilma, o processo do tríplex é “viciado” e a “Justiça vai ser feita”. 

“Foi uma visita comovente, porque é sempre muito difícil ver uma pessoa inocente presa”, disse a ex-presidente. “É, sem dúvida nenhuma, de muita dor vê-lo assim, porque sempre uma cela –e eu sei porque já estive durante três anos numa – uma cela não é um lugar adequado para pessoas, principalmente inocentes, presos políticos.”

Dilma estava acompanhada de Pilar del Rio, escritora e viúva de José Saramago, vencedor do prêmio Nobel de Literatura.  A espanhola definiu Lula como “um líder mundial”. “Lá dentro eu vi um líder mundial, uma pessoa que sabe e tenta romper a história oficial, o único possível, da única sociedade possível”, afirmou. 

Del Rio disse que Lula segue “exercendo a capacidade de liderança que tem e que teve no mundo” e o elogiou, assim como a Dilma. “Os dois estiveram em momentos cruciais e souberam enfrentar uma história triste para milhões de pessoas.” 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Post Tags
Compartilhar postagem