Política

YouTube não vê violação e mantém no ar reunião de Bolsonaro com embaixadores

Plataforma já havia derrubado outro vídeo do presidente, publicado em 2021, com conteúdo semelhante

O presidente Jair Bolsonaro (PL), durante reunião com embaixadores: Reprodução
Apoie Siga-nos no

O Youtube decidiu manter no ar a transmissão da reunião do presidente Jair Bolsonaro (PL) com embaixadores  em que o ex-capitão ataca o sistema eleitoral brasileiro. O evento, que aconteceu na segunda-feira 18, foi ao ar pela TV Brasil e nos perfis do Youtube e do Facebook do presidente. 

“Após revisão, não foram encontradas violações às políticas de comunidade do YouTube no vídeo em questão, postado em 18 de julho no canal Jair Bolsonaro”, afirmou a empresa em nota enviada ao jornal Folha de S.Paulo.

A plataforma disse ainda que equipes estão trabalhando para garantir o equilíbrio entre liberdade de expressão e a segurança dos usuários. 

No evento, Bolsonaro repetiu fake news sobre as urnas eletrônicas e sustentou a tese golpista de que houve um ataque hacker ao sistema eleitoral em pleitos anteriores.

A Polícia Federal investigou a invasão, mas não comprovou nenhuma interferência, A Justiça Eleitoral também rechaçou que o sistema computacional do Tribunal Superior Eleitoral esteja relacionado com as urnas eletrônicas. 

Nesta semana, o Youtube retirou do ar um outro vídeo em que Bolsonaro faz declarações semelhantes às da reunião com embaixadores. Segundo política da empresa, que vale apenas para referências ao pleito de 2018, são proibidos “conteúdo com alegações falsas de que fraudes, erros ou problemas técnicos generalizados ocorreram em eleições nacionais certificadas anteriores”.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.