Política

Violência de gênero: Justiça Eleitoral manda redes removerem vídeo com ofensas a Marília Arraes

Para desembargadora, o conteúdo ‘extrapola o direito à liberdade de expressão’

A candidata ao governo de Pernambuco Marília Arraes. Foto: Reprodução/Redes Sociais
Apoie Siga-nos no

O Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco determinou que o Instagram retire do ar vídeos em que a candidata ao governo Marília Arraes (Solidariedade) é chamada de “picolé de menstruação” pelo policial militar e militante bolsonarista Maxwell Souza.

A desembargadora responsável pela decisão, Virgínia Gondim Dantas, argumentou que “os representados vêm extrapolando o direito à liberdade de expressão” e descumpriram resolução do Tribunal Superior Eleitoral sobre propagandas depreciativas à mulher. 

Na gravação, Maxwell compara Marília à adversária dela no segundo turno, Raquel Lyra (PSDB).

“(…) Porém, a dúvida é sempre a mesma, meu irmão. Você tem um picolé de limão… ‘Ah, mas eu não gosto de limão, que é a Raquel’, e você tem um picolé de menstruação, que é a Marília Arraes. Eu não chupo picolé de menstruação, e você?”, diz na postagem. 

O vídeo foi publicado na página de Mateus Santana, intimado pelo tribunal a prestar esclarecimentos. 

Os representados têm até dois dias para apresentar a defesa. Após o prazo, o Ministério Público será citado e, em até dois dias, deverá se manifestar.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo