Justiça

TSE multa Lula e coligação em R$ 250 mil por propaganda contra Bolsonaro em 2022

No vídeo, a campanha do PT chamava o então presidente de ‘incompetente’, ‘mentiroso’ e ‘desumano’

Foto: Ricardo Stuckert e EVARISTO SA / AFP
Apoie Siga-nos no

O Tribunal Superior Eleitoral multou em 250 mil reais o presidente Lula (PT) e a Coligação Brasil da Esperança por propaganda negativa contra Jair Bolsonaro (PL) na campanha de 2022.

Os ministros julgaram no plenário virtual uma representação da chapa bolsonarista a alegar “graves ofensas à honra e à imagem” do ex-capitão. A Justiça Eleitoral proíbe o impulsionamento na internet de conteúdo negativo contra adversários.

No vídeo questionado por Bolsonaro, apareciam frases do então presidente, como “lamento, quer que eu faça o quê?” – em relação às vítimas da Covid-19 -, intercaladas com palavras como “incompetente”, “mentiroso” e “desumano”.

Ainda durante a campanha de 2022, a relatora, Cármen Lúcia, havia determinado a retirada da peça do ar. Posteriormente, o plenário referendeu a ordem, por unanimidade.

“O vídeo publicado no Youtube, por meio de impulsionamento, veicula conteúdo negativo, divulgando mensagem que, independentemente de sua veracidade ou não, certamente não é benéfica ao candidato à reeleição”, escreveu Cármen na ocasião.

Acompanharam o voto da relatora os ministros Kassio Nunes Marques, Raul Araújo, Isabel Gallotti, Floriano de Azevedo Marques, André Ramos Tavares e Alexandre de Moraes.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo