Política

TSE concede direito de reposta a Bolsonaro em propaganda eleitoral de Lula

O candidato à reeleição terá 2 minutos e 8 segundos de inserção

Foto: Isac Nóbrega/PR
Apoie Siga-nos no

O Tribunal Superior Eleitoral atendeu a pedidos feitos pela campanha do presidente Jair Bolsonaro (PL) e concedeu a veiculação de direito de resposta em propaganda eleitoral do ex-presidente Lula (PT). 

A inserção autorizada é de 2 minutos e 8 segundos no tempo de TV destinado ao petista. É a primeira vez que o TSE concede direito de resposta em um programa de bloco diário, de 12 minutos e meio.

Na ação, a campanha do atual presidente contestava uma peça publicitária exibida pelo petista que associava o ex-capitão e seus familiares ao crime. 

A decisão segue orientação do próprio TSE que definiu que no período eleitoral não se pode imputar ao outro concorrente a prática de crimes, a não ser que exista condenação criminal ou imputação formal. 

A Corte Eleitoral também considerou uma adulteração grosseira a tentativa de associar Bolsonaro ao aborto. 

“Antes de tudo porque é público e notório que o candidato Jair Messias Bolsonaro possui posicionamento abertamente contrário ao aborto”, escreveu a ministra Maria Claudia. “Em momento nenhum, na antiga declaração prestada sobre o assunto, o candidato jamais afirmou que estaria disposto ou que “poderia abortar o próprio filho”.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo