CartaExpressa

Sâmia Bomfim retorna às atividades na Câmara após licença médica por assassinato do irmão

A equipe da deputada informou à reportagem que a retomada dos trabalhos acontecerá de forma gradual

Foto: Bruno Spada/Câmara dos Deputados
Apoie Siga-nos no

A deputada federal Sâmia Bomfim (PSOL-SP) retomou as atividades no Congresso Nacional, após um mês de licença médica, nesta segunda-feira 27. A parlamentar havia interrompido os trabalhos depois que seu irmão, o médico Diego Bomfim, foi assassinado a tiros no Rio de Janeiro.

O retorno foi marcado pela participação na audiência da Comissão de Administração e Serviço Público com o tema Luta dos servidores contra a reforma administrativa. A reunião foi organizada pela própria deputada, em conjunto com a colega de partido Fernanda Melchionna (RS).

A assessoria de imprensa de Sâmia informou à reportagem que a retomada dos trabalhos na Câmara acontecerá de forma gradual.

Em 24 de outubro, a equipe da deputada anunciou que ela tiraria licença médica por tempo indeterminado. A decisão foi tomada três semanas após a morte do irmão.

Diego Bomfim, de 35 anos, e outros dois médicos estavam em um quiosque da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, quando foram alvejados por criminosos. As investigações da Polícia Civil apontam que os médicos foram mortos por engano.

Os três estavam na capital fluminense para participar de um congresso internacional de ortopedia. Imagens de câmeras de segurança mostram que os responsáveis pelos disparos estavam vestidos de preto e chegaram de carro ao quiosque por volta da 1h. Eles estacionaram o veículo do outro lado da rua, desceram do automóvel e atiraram.

A ação durou menos de um minuto. Menos de 12 horas depois do crime, a polícia encontrou os corpos dos quatro suspeitos de participação nos assassinatos dos médicos.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.