Política

‘Sabe que tentou dar um golpe’, diz Lula sobre ato de Bolsonaro na Avenida Paulista

Segundo o presidente, é importante relembrar a trama golpista

Presidente Lula participa da 4 Conferência Nacional de Cultura. Foto: Ricardo Stuckert/PR
Apoie Siga-nos no

O presidente Lula (PT) afirmou nesta segunda-feira 4 que o ato de Jair Bolsonaro (PL) na Avenida Paulista no último domingo representa que o ex-presidente sabia que tentou dar um golpe.

“Aquele ato o que que era? Era de um cidadão que sabe que faz ‘caca’, que fez burrice, que sabe que tentou dar um golpe, que sabe que ele vai para a Justiça, que sabe que ele vai ser julgado e, se for julgado, ele pode ser preso”, disse o presidente.

As falas de Lula foram durante a Conferência Nacional de Cultura (4ª CNC). Em seu discurso, Lula ainda lembrou a viagem de Bolsonaro aos Estados Unidos na reta final de seu mandato.

“Quando ele ficou trancado dentro de casa, que a gente não sabia se ele tava chorando, o que ele tava fazendo, ele estava preparando um golpe. Ele estava tentando imaginar o que ia fazer para não deixar o presidente eleito tomar posse. Eu acho que ele se borrou de medo e resolveu ir embora para os EUA para não ver a posse”, afirmou Lula.

Segundo o presidente, é importante relembrar a trama golpista e que “não dá para deixar pra lá”. “Se a gente não falar isso todo dia pro povo, eles dizem o contrário”, disse.

Lula abordou ainda o conflito na Faixa de Gaza e rebateu as críticas sobre suas falas comparando indiretamente a ofensiva de Israel ao Holocausto.

“Com o tempo, a gente vai provar que eu estava certo. O povo palestino tem que ter o direito de viver, de criar o seu país. Você não pode anunciar comida e mandar torpedo, mandar morte para aquelas pessoas”, disse.

Retorno da Conferência Nacional de Cultura 

Após 11 anos de intervalo desde a última conferência, em 2013, a Conferência Nacional de Cultura vai até a próxima sexta-feira 8. O evento reúne mais de 3 mil participantes nesta edição, entre delegados, que têm direito a voz e voto das propostas apresentadas; convidados, que podem se manifestar, mas não podem votar; e observadores do público geral, que poderão acompanhar todos os debates da conferência.

Após os debates, as propostas acolhidas pelos delegados participantes poderão servir de base para o novo Plano Nacional de Cultura (PNC).

A 4ª Conferência Nacional de Cultura, realizada pelo MinC, tem apoio da Organização de Estados Ibero-Americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura no Brasil (OEI) e do Banco do Brasil.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo