Política

Lula confirma Celso Sabino no Turismo; conheça o novo ministro

O parlamentar, próximo ao presidente da Câmara, Arthur Lira, comandará a pasta no lugar de Daniela Carneiro

O futuro ministro do Turismo Celso Sabino. Foto: MyKe Sena/Câmara dos Deputados
Apoie Siga-nos no

Depois de semanas de disputa sobre a composição dos ministérios, o governo Lula confirmou nesta quinta-feira 13 que o deputado Celso Sabino (União-PA) é o novo ministro do Turismo, no lugar de Daniela Carneiro.

A decisão foi anunciada após uma reunião entre Lula, Sabino e o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha.

“O presidente convidou Sabino para o Ministério do Turismo, convite esse que foi aceito pelo deputado. A nomeação sairá no Diário Oficial da União nos próximos dias”, informou o Palácio do Planalto.

Aliado do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), Sabino, 44 anos, começou a carreira política como deputado estadual suplente em 2011, no Pará. Após atuar como secretário estadual de Trabalho, Emprego e Renda, ele se filiou em 2013 ao PSDB, partido pelo qual foi eleito deputado estadual em 2014.

Já em 2018, com o apoio do tucano Aécio Neves, Sabino foi eleito deputado federal e, no ano seguinte, foi autor do relatório que rejeitou a expulsão de Aécio da legenda em meio a denúncias de corrupção na Lava Jato.

Em seu passado tucano, o deputado também criticou a decisão da então presidenta Dilma Rousseff de nomear Lula ministro da Casa Civil, quando enfrentava um processo de impeachment.

Na legislatura passada, Sabino triplicou o seu patrimônio. Segundo dados da Justiça Eleitoral, em 2018 ele possuía um patrimônio avaliado em 1,5 milhão de reais. Já em 2022, durante a reeleição para o cargo, ele declarou bens na ordem de 4,4 milhões.

Entre os projetos apresentados por ele e relacionados à área do turismo estão os que defendem conceder os títulos de capital nacional do dendê e capital nacional do açaí aos municípios paraenses de Moju e Igarapé-Miri, respectivamente. Outra proposta visa criar uma Rota Turística Histórica Belém-Bragança, para “estimular o desenvolvimento econômico e social da Amazônia Atlântica”. 

Celso Sabino é formado e Direito e Administração pelo CESUPA e pela Unama. Ele possui, também, doutorado em Ciências Jurídicas e Sociais na UMSA, da Argentina.

Antes mesmo de ser nomeado, o parlamentar já era tratado como “ministro” nos corredores do Congresso e recebeu colegas da Câmara para discutir a liberação de emendas. A auxiliares, Sabino também pediu um levantamento sobre as ações da pasta nos últimos sete meses, ouviu demandas do setor turístico e fez consultas informais com pesquisadores da área.

Com a mudança no comando do Turismo, lideranças do União Brasil acreditam que haverá uma “correção de rota” na relação pouco amistosa entre a sigla e o Palácio do Planalto. Desde o anúncio dos ministérios, parlamentares resistiam a integrar a base de apoio do governo e demonstravam ressalvas à composição da Esplanada – isso porque as indicações não representariam a bancada da Câmara.

Daniela Carneiro, por sua vez, era tida como uma escolha da “cota pessoal” de Lula pelo apoio na Baixada Fluminense em 2022. Por isso, o Planalto adotou cautela nas discussões sobre a substituição, a fim de evitar conflitos com o grupo liderado pelo marido de Daniela e prefeito de Belford Roxo, Waguinho (Republicanos).

A atuação do casal em prol de Lula foi considerada importante, porque veio de lideranças políticas conservadoras e em uma região com forte eleitorado evangélico, segmento no qual o petista teve dificuldades na disputa eleitoral.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.