Política

PSOL aprova apoio ao governo Lula, mas impõe condição a quem assumir ministério

O integrante do partido que assumir alguma pasta terá que se afastar da direção e não falará em nome da legenda; exceção foi feita a Sonia Guajajara

Juliano Medeiros, presidente nacional do PSOL discursa em evento que oficializou apoio do partido a Lula. Foto: Reprodução/Redes Sociais
Apoie Siga-nos no

O PSOL aprovou neste sábado 17 o apoio do partido ao novo governo do presidente eleito Lula (PT). Com a decisão, a bancada da legenda na Câmara dos Deputados vai compor a base aliada do petista no Congresso. Já a possibilidade de algum integrante assumir cargo na gestão federal ficou condicionada ao afastamento do mesmo da direção da sigla.

“Conseguimos ajustar as diferenças internas e reafirmar nosso apoio ao governo Lula para reconstruir o Brasil”, afirmou o presidente nacional do partido, Juliano Medeiros. “Ao mesmo tempo, manteremos nossa essência combativa em defesa das políticas de justiça social, ajudando o novo presidente a entregar um país melhor para todos daqui quatro anos”.

O documento aprovado pela direção nacional do PSOL abre uma exceção à deputada federal eleita Sonia Guajajara, cotada para assumir o Ministério dos Povos Originários.

“O PSOL apoiará o governo Lula em todas as suas ações de recuperação dos direitos sociais e de interesses populares. Estaremos presentes nas trincheiras do parlamento e nas lutas do povo brasileiro, combatendo a extrema-direita e defendendo o governo democraticamente eleito, mas o PSOL não terá cargos na gestão que se inicia“, diz o texto. “Ainda assim, compreendemos que a indicação de Sonia Guajajara, como liderança do movimento indígena, para o ministério dos povos originários é uma conquista de extrema importância para uma luta tão atacada por Bolsonaro e deve ser respeitada pelo partido”.

Na eleição nacional, o PSOL apoiou a chapa composta por Lula e pelo vice-presidente Geraldo Alckmin (PSB). A decisão provocou desfiliações no partido. Uma ala defendia candidatura própria à presidência da República. Em entrevista recente a CartaCapital, o deputado federal Glauber Braga (PSOL-RJ) defendeu que a legenda não faça parte da gestão petista.

Em contato com a reportagem neste sábado, a deputada federal Samia Bomfim disse que “os filiados que eventualmente assumirem cargos serão licenciados e não falarão em nome do partido“.

Leia o documento completo:

PSOL COM LULA CONTRA O BOLSONARISMO E PELOS DIREITOS DO POVO BRASILEIRO resolução ptl

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.