Política

Presidente do PDT diz que Ciro pode ser candidato a governador em 2026

A sugestão de André Figueiredo ocorre em meio ao racha entre Ciro e o senador Cid Gomes pelo comando da sigla no Ceará

Reprodução/Twitter Ciro Gomes
Apoie Siga-nos no

O deputado federal André Figueiredo (CE), presidente em exercício do PDT, disse ver com naturalidade uma eventual candidatura do ex-ministro Ciro Gomes ao governo do Ceará em 2026. A declaração foi concedida em meio ao racha entre Ciro e  o senador Cid Gomes pelo comando da sigla no estado.

“Ele sendo candidato a governador torna cada vez mais uma disputa aqui no Ceará bem interessante”, afirmou Figueiredo à Folha de S.Paulo.

Uma eventual candidatura do ex-ministro passou a ser ventilada entre aliados em meio ao risco de debandada de parlamentares e prefeitos da legenda. Seria uma forma de compensar prováveis perdas em função do racha no Ceará.

Dos cinco deputados federais pelo PDT cearense, quatro tentam deixar o partido – a exceção é Figueiredo. Na Assembleia Legislativa, o partido pode perder 10 dos 13 representantes.

No radar, segundo Figueiredo, ainda está a possibilidade de Ciro ser candidato a deputado federal, a senador ou até a presidente.

“O Ciro sendo deputado federal ajuda a fazer uma grande bancada. Ele elegeu 16 em 2006. Realidades diferentes, mas ele ajuda a fazer uma grande bancada”, destacou.

O imbróglio na legenda tem como pano de fundo a briga entre os irmãos Ferreira Gomes e envolve, entre outros pontos, discordâncias sobre a estratégia de se aliar ou não ao PT nas eleições municipais de 2024. A crise, porém, se intensificou no ano passado, devido a divergências em torno da corrida ao governo cearense.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.