Política

Prazo para regularizar, transferir ou emitir título de eleitor termina nesta quarta-feira

Quem não estiver em dia com a Justiça Eleitoral não poderá votar nas eleições municipais de outubro

Apoie Siga-nos no

Eleitores têm até esta quarta-feira, dia 8 de maio, para regularizar a situação eleitoral, solicitar a transferência de domicílio eleitoral ou emitir um novo título de eleitor. Depois desta data o sistema do cadastro estará fechado até o fim do processo eleitoral. 

Quem não estiver em dia com a Justiça Eleitoral não poderá votar nas eleições municipais de outubro. Há multas e sanções previstas para quem estiver em situação irregular.

Para emitir um título, o eleitor de comparecer a um cartório eleitoral, munido de documento oficial com foto (exceto CNH) e um comprovante de residência emitido nos últimos três meses. Homens maiores de 18 anos devem apresentar o comprovante de quitação militar.

A ida ao local é necessária para o cadastro da biometria. Eleitores que ainda não possuem a identificação da digital também precisar ir à sede da Justiça Eleitoral para regularizar a situação.

Para quem já tem a identificação biométrica no sistema do TSE, é possível resolver as pendências eleitorais pelo serviço de autoatendimento ou no site do TSE.

Até 8 de maio, é possível resolver pendências como multas decorrentes de ausências às eleições anteriores ou reativação de títulos cancelados por não votarem em três pleitos consecutivos.

Os documentos a serem apresentados em cada um dos outros casos de regularização podem ser consultados aqui.

Eleições

Neste ano, devido ao caráter local das eleições, não há possibilidade de voto em trânsito. O pleito está marcado para 6 de outubro, com eventual segundo turno em 27 de outubro. 

Os eleitores vão votar para os cargos de prefeito, vice-prefeito e vereador.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo