Política

Podemos inicia processo de expulsão de ‘Mamãe Falei’ por declarações machistas

O deputado estadual de São Paulo tem cinco dias para apresentar a sua defesa no procedimento

O deputado estadual Arthur do Val. Créditos: Alesp
Apoie Siga-nos no

O Podemos anunciou a abertura do processo de expulsão do deputado estadual Arthur do Val (SP), conhecido como “Mamãe Falei”, após declarações machistas sobre mulheres refugiadas da Ucrânia. Em nota nesta segunda-feira 7, a legenda informou que recebeu no domingo 6 o pedido de instauração do procedimento.

Segundo a sigla, a realização do processo é necessária para resguardar o direito à ampla defesa e ao contraditório. O deputado tem cinco dias para apresentar a defesa.

O pedido foi assinado por Márcia Pinheiro, presidente do Podemos Mulher Nacional, e Alessandra Algarin, presidente do setorial em São Paulo. O procedimento corre no diretório paulista.

O pré-candidato à Presidência pelo Podemos, o ex-juiz Sergio Moro, disse lamentar a postura de “Mamãe Falei” e declarou que “o tratamento dispensado às mulheres ucranianas refugiadas e às policiais do país é inaceitável em qualquer contexto”.

“Mamãe Falei” era o pré-candidato de Moro ao governo de São Paulo na eleição deste ano e estava filiado ao Podemos há pouco mais de 30 dias. Com o escândalo, o parlamentar admitiu as declarações e retirou a sua pré-candidatura. À imprensa, disse que se tratava de um “momento de empolgação”.

Deputados da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo também reivindicam a cassação do mandato de “Mamãe Falei”.

 

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo