CartaExpressa

Em áudios, Arthur do Val tece comentários machistas sobre mulheres ucranianas: ‘São fáceis, porque elas são pobres’

Mais cedo, em suas redes, ‘Mamãe Falei’ postou uma foto onde afirmava estar produzindo coquetel molotov para apoiar o exército ucraniano contra a invasão russa

Arthur do Val
Arthur do Val. Foto: Divulgação/Alesp Arthur do Val. Foto: Divulgação/Alesp
Apoie Siga-nos no

O deputado estadual Arthur do Val (Podemos-SP), que está de passagem pelo Leste Europeu em plena guerra contra a Ucrânia, enviou áudios no grupo do Movimento Brasil Livre fazendo comentários machistas sobre as mulheres do país.

“Elas são fáceis, porque elas são pobres”, diz em uma passagem.

“Aqui minha carta do Instagram, cheia de inscritos, funciona demais. Não peguei ninguém, mas ‘colei’ em duas minas porque a gente não tinha tempo e, assim, inacreditável a facilidade”, continua o parlamentar.

Em outro momento ele fala sobre a beleza das policiais ucranianas, a quem se refere como ‘deusas’, e acrescenta: ‘assim que essa guerra passar eu vou voltar pra cá’.

Ainda durante a gravação, o parlamentar fala de uma suposta técnica de viagem utilizada pelo coordenador do MBL, Renan Santos, que o acompanha na atual viagem ao Leste Europeu. A técnica é chamada pelo parlamentar de ‘tour de blond’. “Ele viaja os países e vai só pra pegar loira, só que ele tem técnicas já, ele já está avançado, pra começar que ele fala sueco”, diz Do Val, ao enumerar algumas dicas que recebeu do parceiro.

“Você nunca ir para cidades litorâneas, que tem as melhores baladas, tem que ir para as cidades normais, porque aí você pega as minas no mercado, na padaria”, explicou.

Mais cedo, em suas redes sociais, ‘Mamãe Falei’ postou uma foto onde afirmava estar produzindo coquetel molotov para apoiar o exército ucraniano contra a invasão russa.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.