Paulo Preto é condenado a 27 anos por cartel e fraude

O ex-diretor da Dersa interferiu em obras do Rodoanel e do Sistema Viário Metropolitano de São Paulo entre 2004 e 2015

(Foto: Geraldo Magela/ Agência Senado)

(Foto: Geraldo Magela/ Agência Senado)

Política

Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, foi condenado nesta quinta-feira 28 pelos crimes de cartel e fraude a licitação, com uma pena de 27 anos e oito dias – sendo os primeiros oito anos em regime fechado.

Acusado pelo Ministério Público Federal de São Paulo, o ex-diretor da Desenvolvimento Rodoviário S.A. (Dersa) interferiu em obras do Rodoanel e do Sistema Viário Metropolitano de São Paulo entre 2004 e 2015. Ele está preso em regime preventivo desde o 19 de fevereiro, fruto da Operação Ad Infinitum, que investigou R$ 130 milhões mantidos em contas controladas pelo executivo. As suspeitas são de que ele seria o operador do PSDB em esquemas na Petrobras. Na ocasião também foram expedidos mandados de busca e apreensão contra o ex-ministro das Relações Exteriores do governo Temer, Aloysio Nunes.

Leia também: Paulo Preto guardava 100 milhões de reais em dinheiro vivo

O cartel foi descoberto por meio de uma delação premiada realizada com oito executivos da construtora Odebrecht. Segundo eles, o esquema de corrupção tinha o aval da Dersa (de âmbito estadual), da Empresa Municipal de Urbanização (Emurb), além da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras de São Paulo.

Leia também: Paulo Preto assombra o tucanato de São Paulo desde as eleições de 2010

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

É repórter do site de CartaCapital.

Compartilhar postagem