Mais de 37 mil militares receberam auxílio de R$ 600, segundo governo

De acordo com a emissora CNN Brasil, relatório do Ministério da Cidadania cruzou dados e apontou desvio na concessão do benefício

Pagamento do auxílio emergencial de 600 reais apresenta desvios. Foto: Leonardo Sá/Agência Senado

Pagamento do auxílio emergencial de 600 reais apresenta desvios. Foto: Leonardo Sá/Agência Senado

Política

Um relatório do Ministério da Cidadania aponta que 37.298 militares receberam a 1ª parcela do auxílio emergencial de 600 reais, programa voltado para o socorro de trabalhadores informais e desempregados durante a pandemia do novo coronavírus. O documento foi revelado pela emissora CNN Brasil.

De acordo com o relatório, 14 mil militares chegaram a sacar a 2ª parcela do benefício. O Ministério vai apurar se oficiais tiveram seus documentos utilizados em fraudes ou se solicitaram o benefício propositalmente.

Em 11 de maio, o Ministério da Defesa alertou que integrantes da folha de pagamentos da pasta poderiam ter recebido o auxílio. Em nota, a pasta afirmou que a folha de pagamentos é composta por militares da ativa, da reserva, reformados, pensionistas e anistiados.

Segundo estudo de pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP), as regras para o recebimento do benefício podem excluir mais de 32 milhões de trabalhadores.

Para obter o socorro financeiro, o solicitante não pode ter renda mensal acima de meio salário mínimo, o equivalente a 522,50 reais. Sua renda familiar também não pode ultrapassar três salários mínimos.

Em reportagem de CartaCapital, trabalhadores de diferentes perfis relataram atrasos na conclusão da análise da solicitação do benefício e viraram mês à espera do pagamento. Em 3 de junho, órgãos do governo anunciaram celebração de acordo para “aperfeiçoar análises do auxílio emergencial” para “agilizar a concessão do benefício”.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem