Política

Lula mostra preocupação com avanço da extrema-direita global em artigo publicado em jornal espanhol

Presidente pontua que ‘desigualdade tornou-se terreno fértil para o extremismo’

Foto: EVARISTO SA / AFP
Apoie Siga-nos no

O jornal espanhol El País publicou, na sua edição desta quarta-feira 6, artigo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). No texto, o mandatário brasileiro cita a visita do presidente do governo da Espanha, Pedro Sánchez, ao Brasil, e analisa a situação atual da democracia.

“Quando a democracia falha em garantir o bem-estar do povo, prosperam figuras que vendem soluções simplistas para problemas complexos, semeando a desconfiança no processo eleitoral e nas instituições políticas”, escreve Lula.

Para ele, o mundo enfrenta “um preocupante aumento da extrema-direita e de suas tradicionais ferramentas de desagregação social: o autoritarismo, a violência, a precarização do trabalho, o negacionismo climático, o discurso de ódio, a xenofobia, o racismo e a misoginia”. 

“Nas últimas décadas, um modelo econômico excludente concentrou a renda e ampliou disparidades. A desigualdade tornou-se terreno fértil para o extremismo”, diz, ainda, o petista.

Lula menciona, também, que o Brasil e a Espanha “apostaram em governo que acreditam que a chave para responder aos ataques à democracia é melhorar a vida das pessoas”.

Apesar das vitórias eleitorais do brasileiro e do espanhol, o avanço da extrema-direita não se restringiu a ser um fenômeno pontual.  

No continente americano, a Argentina elegeu, no final do ano passado, Javier Milei como presidente. Já para este ano, os Estados Unidos vão realizar eleições que podem levar à volta de Donald Trump ao poder. Na Europa, siglas da direita devem avançar em Portugal, Alemanha e nas cadeiras da União Europeia.

Paz mundial

Sem se referir diretamente a um conflito específico, seja Gaza ou Ucrânia, Lula optou, no texto para o periódico espanhol, por mencionar seu apelo por paz mundial. Sobre o tema, ele diz que ela “continua sendo um privilégio de alguns”, mencionando que os países do mundo têm, atualmente, um orçamento militar na casa do 2,2 trilhões de dólares por ano, enquanto investem pouco no combate à fome.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo