Kassio Nunes será o relator do pedido de Kajuru para acelerar análise do impeachment de Moraes

O senador acusa o ministro de 'violar a imunidade parlamentar' ao mandar prender o bolsonarista Daniel Silveira

Kassio Nunes e Alexandre de Moraes. Fotos: Fellipe Sampaio/STF e Nelson Jr./STF

Kassio Nunes e Alexandre de Moraes. Fotos: Fellipe Sampaio/STF e Nelson Jr./STF

Justiça,Política

O ministro Kassio Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal, foi sorteado nesta segunda-feira 12 como relator de um mandado de segurança apresentado pelo senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) para acelerar a abertura de um processo de impeachment contra o ministro Alexandre de Moraes, também do STF.

À Corte, Kajuru afirma que protocolou uma denúncia contra Moraes no Senado em 4 de março, a qual, segundo ele, não tem “o devido e regular andamento, restando ‘parada’ desde 11/03/2021”.

 

 

No pedido, Kajuru afirma que Moraes cometeu crime de responsabilidade, “demonstrando insistentes agressões às garantias da liberdade de expressão e de imprensa, bem como a recente violação à imunidade parlamentar de um deputado federal no pleno exercício de seu mandato (Art. 53, CF), preso ilegalmente a seu mando e alvitre, ferindo igualmente a liberdade de expressão e direito de opinião, essenciais para a crítica e a fiscalização dos Poderes da República, ainda mais num momento de crise e pandemia”.

Trata-se de uma defesa do deputado bolsonarista Daniel Silveira, preso em 16 de fevereiro por ameaçar ministros do STF. Em 14 de março, Moraes, autor do mandado que levou Silveira à cadeia, concedeu prisão domiciliar ao parlamentar de extrema-direita.

Na noite deste domingo 11, Kajuru divulgou nas redes sociais a gravação de uma conversa com o presidente Jair Bolsonaro, às vésperas da instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito que investigará a omissão do governo federal no combate à Covid-19.

No diálogo, Bolsonaro pressiona justamente pela apresentação de pedidos de impeachment contra ministros do Supremo Tribunal Federal e tenta alterar a linha de atuação da CPI.

“Você tem de fazer do limão uma limonada. Tem de peticionar o Supremo para colocar em pauta o impeachment (de ministros) também”, disse Bolsonaro ao senador. “A CPI hoje é para investigar omissões do governo Bolsonaro, ponto final. Se não mudar o objetivo da CPI, ela vai só vir pra cima de mim. Tem que mudar a amplitude dela”.

A decisão de colocar em pauta pedidos de impeachment contra ministros do STF cabe ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), a quem Kajuru acusa de “omisso”.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem