Instituto Brasil-Israel repudia encontro de Bolsonaro com deputada alemã

Segundo a entidade, a reunião com a deputada é um revés para a memória do Holocausto

Instituto Brasil-Israel repudia encontro de Bolsonaro com deputada alemã

Política

O Instituto Brasil-Israel divulgou uma nota de repúdio ao encontro entre Jair Bolsonaro e uma das líderes da ultradireita alemã, a deputada Beatrix von Storch, conforme publicação da Folha.

“Ao contrário de uma união dos conservadores do mundo para defender os valores cristãos e a família, como sugeriu Bia Kicis, esses encontros estão mais para união de políticos de extrema-direita irrelevantes no cenário global. Um abraço de náufragos”, afirma a nota da entidade.

O instituto diz ainda que o encontro representa “um revés nos esforços de construção de uma memória coletiva do Holocausto” e afrontam o espírito da Constituição de 1988. Também descreve o partido da parlamentar como legenda de “tendências racistas, sexistas, islamofóbicas, antissemitas, xenófobas e forte discurso anti-imigração”.

O presidente Jair Bolsonaro reuniu-se, na semana passada, com a deputada da Alternativa para a Alemanha, partido de extrema-direita conhecido pela sigla AfD. A parlamentar postou uma foto nesta segunda-feira 26 que confirma o encontro.

Na publicação, Beatrix escreveu que o partido quer “fortalecer suas conexões e defender nossos valores cristãos e conservadores em nível internacional”.

A deputada é neta de Lutz Graf Schwerin von Krosigk, ministro das Finanças na Alemanha nazista.

Em 2018, von Storch foi investigada após questionar a decisão da cidade de Colônia de publicar mensagens em árabe, como parte de uma campanha multilíngue.

A publicação dizia: “O que diabos está acontecendo de errado neste país? (…) Estão querendo agradar os bárbaros, os muçulmanos e essa horda de homens estupradores?”. O Twitter e o Facebook removeram as postagens, classificadas como discurso de ódio.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem