Economia

Governo terá responsabilidade fiscal, mas sem atender tudo o que o sistema financeiro quer, diz Lula

Em viagem a Portugal, o presidente eleito afirmou ser ‘importante que a gente tome cuidado para não ser vítima da especulação’

O presidente eleito Lula e o primeiro-ministro de Portugal, António Costa, em Lisboa. Foto: Carlos Costa/AFP
Apoie Siga-nos no

O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou nesta sexta-feira 18, durante visita a Portugal, que seu governo será “responsável do ponto de vista fiscal, sem precisar atender tudo o que sistema financeiro quer”. Disse também não haver “razão para esse medo e essa flutuação da Bolsa” e ser “importante que a gente tome cuidado para não ser vítima da especulação”.

No acumulado desta semana, o dólar fechou em alta de 0,73%, enquanto o Ibovespa caiu 3,01%. A nova etapa dessa reação de investidores ocorreu após a apresentação da minuta da PEC da Transição e depois de Lula afirmar que “não adianta ficar pensando só em dado fiscal, mas em responsabilidade social”.

“Fico chateado quando vejo sinais de ‘olha, qual é a política fiscal?’. Tenho dito que ninguém tem autoridade para falar de política fiscal comigo, porque, durante todo o meu período de governo, fomos o único país do G20 a fazer superávit primário nos 8 anos do meu mandato”, declarou Lula após reunião com o primeiro-ministro português, António Costa. Mais cedo, o petista se encontrou com o presidente Marcelo Rebelo de Sousa, em Lisboa.

Lula também defendeu a possibilidade o País gerar uma dívida para “construir um ativo novo”, desde que a medida ocorra “com responsabilidade, para que o País volte a crescer”.

“Vou cuidar do povo brasileiro com muito respeito e autoridade. Digo em alto e bom som: tenho um compromisso com o povo e vou cuidar desse povo como jamais alguém cuidou. Vou aumentar o salário mínimo todo ano, vou voltar a gerar emprego e vamos voltar a ser responsáveis do ponto de vista fiscal, sem precisar atender tudo o que sistema financeiro quer.”

Na quinta 17, os economistas Arminio Fraga, Edmar Bacha e Pedro Malan divulgaram uma carta aberta aberta a Lula em que criticaram declarações recentes do presidente eleito sobre responsabilidade fiscal. O texto foi publicado pelo jornal Folha de S.Paulo.

“Acredite que compartilhamos de suas preocupações sociais e civilizatórias, a sua razão de viver. Não dá para conviver com tanta pobreza, desigualdade e fome aqui no Brasil. O desafio é tomar providências que não criem problemas maiores do que os que queremos resolver”, diz um trecho da redação.

Questionado sobre a carta nesta sexta, Lula afirmou não tê-la lido, mas se disse “muito humilde” ao lidar com conselhos. Também afirmou ter se sentido “feliz” ao ser informado sobre o teor do texto. Ele elencou avanços de seus dois governos na geração de empregos, no controle da inflação e na redução da dívida pública em relação ao Produto Interno Bruto.

“De vez em quando, aparecem umas notícias na imprensa, um nervosismo na bolsa, que não há explicação de ser”, completou.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo