Política

Ex-bispo da Universal manifesta apoio a Lula: ‘Pessoa de Deus’

Romualdo Panceiro, que chegou a ser visto como potencial sucessor de Edir Macedo, disse que o apoio a Bolsonaro está atrelado aos interesses de alguns pastores

Créditos: Reprodução Youtube
Apoie Siga-nos no

O ex-bispo da Igreja Universal do Reino de Deus, Romualdo Panceiro, declarou apoio ao ex-presidente Lula nas eleições e disse que os líderes evangélicos que se opõem ao petista não devem ser levados tão a sério.

“O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva  (PT) ‘é uma pessoa bacana, do bem, uma pessoa de Deus’, e não se deve levar tão a sério o líder evangélico que hoje fale o contrário”, disse, em entrevista à Folha de S. Paulo, ao mencionar a inauguração do Templo de Salomão, sede mundial da igreja, lançada em 2014, no primeiro mandato da presidenta Dilma Rousseff.

“Todo mundo do PT estava lá. O que acontece é o seguinte: quero um pedaço de pão, quem pode me dar um pedaço maior? Bolsonaro? Então vou ficar com ele”, completou.

O ex-bispo considerou apostou que, em caso de vitória de Lula, os apoiadores de Jair Bolsonaro migrarão para o governo do petista.  “Amanhã esse pessoal que está com Bolsonaro e detesta Lula, esse pessoal que vem com essa ideia de gênero, que é mentira, todo mundo vai apoiar Lula”, disse, se referindo a uma das principais teorias das alas mais conservadores, a ‘ideologia de gênero, que trata de repelir discussões sobre gênero e sexualidade e, por isso, espalhar notícias falsas e pânico moral, como a suposta erotização de crianças em espaços escolares.

Panceiro disse ainda que o apoio a Bolsonaro está atrelado a interesse político por parte de alguns pastores. “O que o pessoal quer? Poder, influência. Estão em jogo verbas que o governo pode dar para favorecer emissoras etc. Hoje a verba, que a gente chama de pão, é repartida talvez de forma injusta. Pedaço maior para fulano e um menor para beltrano. Na época do Lula, o pedaço de pão era repartido de forma justa.”

O bispo, que hoje lidera a Igreja das Nações do Reino de Deus, de pequeno porte e linha neopentecostal, também descartou que o voto em Lula coloque em xeque a sua cristandade. “Não posso? Por quê? Quem vota no Lula não é cristão?”, questiona, rindo, e logo emenda: “Essa coisa aí de ‘deixei de ser cristão porque estou apoiando Lula’, sabe o que é? É fanatismo. Não dependo da opinião de quem quer que seja para viver a minha fé.”

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo