Política

Quaest: deputados ‘elegem’ Haddad como o melhor ministro de Lula

Rui Costa, por outro lado, tem a imagem mais negativa dentro da Câmara, segundo a pesquisa

O presidente Lula e o ministro da Fazenda, Fernando Haddad. Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/ Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, é o integrante da equipe de governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) mais bem avaliado entre os deputados federais. A conclusão consta na pesquisa da consultoria Quaest, divulgada nesta segunda-feira 27 pelo jornal Folha de S. Paulo. 

O ministro da Fazenda foi citado positivamente por 48% dos parlamentares ouvidos pelo levantamento. Outros 29% avaliam a atuação de Haddad como negativa e 20%, como regular. 

Entre os deputados que integram a base do governo, a aprovação de Haddad chega a 82%, ante 3% que apontaram não gostar do trabalho do ministro. 

Já entre os filiados a partidos da oposição, a avaliação negativa de Haddad sobe para 66%. Outros 12% avaliam positivamente a condução do chefe da Fazenda. 

O ministro Rui Costa, da Casa Civil, é o que acumula as maiores rejeições, tanto por governistas, quanto pelos parlamentares da oposição. 

Ao todo, 39% dos parlamentares avaliam sua atuação na pasta como negativa, enquanto outros 29% concordam com a condução frente da Casa Civil. Para 27% dos entrevistados, a gestão de Rui Costa é regular. 

Entre os deputados de oposição, 75% não concordam com o trabalho do ministro, enquanto 5% aprovam. Na base governista, 56% fazem uma avaliação positiva, enquanto outros 13% avaliam de forma negativa. 

O cenário, apontado por essa rodada do levantamento, é relativamente parecido com aquele registrado em setembro do ano passado. 

À época, Haddad era avaliado positivamente por 52% dos deputados, com outros 20% discordando de seu trabalho. Rui Costa, por sua vez, tinha apenas 25% de avaliação positiva entre os deputados. 41% marcavam como negativo o trabalho do chefe da Casa Civil. 

Entre os queridinhos dos deputados na pesquisa desta segunda ainda estão a ministra do Planejamento, Simone Tebet, com 39% das menções positivas, contra 28% de negativas, e o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, com 33% de aprovação e 35% de rejeição. 

O levantamento foi feito com 183 deputados, de forma presencial, entre os dias 29 de abril a 20 de maio. A amostra seguiu a divisão da Câmara por região e grupo ideológico. A margem de erro e de 4,8 pontos percentuais para mais ou para menos.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo