Política

Em SP, Lula tem 39% das intenções de voto, ante 35% de Bolsonaro, diz pesquisa

Pela margem de erro da pesquisa, o resultado é considerado um empate técnico entre os dois pré-candidatos no maior colégio eleitoral do País

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (PL). Fotos: Ricardo Stuckert e Evaristo Sá/AFP
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (PL). Fotos: Ricardo Stuckert e Evaristo Sá/AFP
Apoie Siga-nos no

A pesquisa Exame/Ideia divulgada na noite de quarta-feira 8 traz o ex-presidente Lula (PT) na liderança numérica da eleição nacional entre os eleitores de São Paulo. Ao todo, no estado, o petista reúne 39% das intenções de voto. Jair Bolsonaro (PL), por sua vez, tem 35%.

O resultado, destacam os pesquisadores, apesar de dar vantagem numérica a Lula, representa um empate técnico pela margem de erro da pesquisa, que é de 3 pontos percentuais.

O empate técnico entre os dois pré-candidatos no maior colégio eleitoral do País já havia sido apontado em outros levantamentos. Em especial no interior do estado, Lula enfrentará um cenário adverso, conforme registrou CartaCapital, que teve acesso a um levantamento interno do PT, que mostra a vitória de Lula nas grandes cidades, mas desvantagem nos municípios do interior de médio e pequeno portes.

A pesquisa Exame/Ideia desta quarta também mostra Lula e Bolsonaro em pé de igualdade no levantamento espontâneo, aquele em que não são apresentadas opções de candidaturas aos entrevistados. Neste caso, Lula tem 31% das intenções de voto, ante 30% de Bolsonaro.

Demais pré-candidatos

A pesquisa desta quarta também aponta um desempenho pouco significativo dos demais pré-candidatos ao Planalto entre os eleitores paulistas. Quem se sai melhor, novamente, é Ciro Gomes (PDT), que reúne 6% das intenções de voto na pesquisa estimulada.

A senadora Simone Tebet (MDB), por sua vez, marca 4% das intenções de voto. Todos os demais pré-candidatos somam 1% das intenções de voto. A única exceção é Eymael (PSC), que reúne só 0,3% das intenções de voto entre os eleitores do estado.

Já na pesquisa espontânea, Ciro marca 3% e Tebet 1%. João Doria (PSDB), apesar da desistência, ainda é mencionado por 1%. Luiz Felipe D’avila (Novo) tem o mesmo desempenho. Todos os demais não chegam a somar 1% de indicação dos eleitores.

Para chegar aos resultados, foram entrevistados, por telefone, 1.200 eleitores de São Paulo entre os dias 3 e 8 de junho. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

EXAME-IDEIA_8-DE-JUNHO_ELEICOES_SAO-PAULO-editorial-1

Getulio Xavier

Getulio Xavier
Repórter do site de CartaCapital

Tags: , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.