Em derrota de Bolsonaro, Câmara mantém Delegado Waldir como líder do PSL

Em racha no partido, Jair Bolsonaro queria seu filho como o líder da legenda

Deputado Federal Delegado Waldir.
Foto Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Deputado Federal Delegado Waldir. Foto Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Política

A ala bolsonarista do PSL sofreu uma derrota na Câmara dos Deputados. A casa validou, nesta quinta-feira 17, a lista de assinaturas de deputados que querem manter o Delegado Waldir (PSL-GO) no posto de líder da bancada do partido.  A lista em apoio a  Waldir tinha 29 assinaturas.

O filho do presidente, o deputado federal Eduardo Bolsonaro estava concorrendo com Waldir ao posto de comando da legenda. Das três listas de assinaturas protocoladas na Secretaria-Geral da Mesa da Câmara, duas eram em apoio a Eduardo. Uma continha 26 assinaturas válidas e outra, 24.

Os deputados acusaram o Jair Bolsonaro de atuar pessoalmente para influir o processo. Isso porque na quarta-feira 16, a revista Época divulgou um áudio em que o presidente aparece pedindo apoio a deputados do PSL para destituir Waldir. Ele é ligado ao presidente da legenda, deputado Luciano Bivar (PE), e tem feito críticas públicas a Bolsonaro.

Pelas regras internas da Câmara, a escolha do líder partidário é oficializada por documento endereçado ao presidente da Casa, atualmente Rodrigo Maia (DEM-RJ). O texto deve conter a assinatura da maioria absoluta dos integrantes da sigla.

A crise entre Bolsonaro e o comando do PSL se acentuou na semana passada, quando o presidente orientou um apoiador a esquecer Bivar que, na opinião dele, está “queimado”. Bivar disse que a fala era “terminal” na relação entre Bolsonaro e o partido, ao qual o presidente é filiado.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem