Eleições 2020: Um em cada cinco moradores de SP pode não ir às urnas por medo do coronavírus

Os dados são de pesquisa Datafolha. As eleições municipais acontecem em novembro

Créditos: EBC

Créditos: EBC

Política

Um em cada cinco moradores da cidade de São Paulo pode deixar de comparecer às urnas em novembro para as eleições municipais por medo de ser contaminado pelo novo coronavírus. Os dados são de pesquisa Datafolha realizada esta semana.

Os maiores índices (27%) estão entre os eleitores da faixa de 25 a 34 anos, seguido pelos de 35 a 44 anos (26%). Aqueles com mais de 60 anos, dentro do grupo de risco, são 17%, mesmo índice daqueles com idade de 45 a 59 anos.

De acordo com a pesquisa, 34% dos eleitores afirmam que não se sentem nada seguros em sair para votar nas eleições de 15 de novembro, data do primeiro turno, e 24% dizem se sentir muito seguros. Outros 42% indicam ter pouca segurança.

Dos eleitores de 45 a 59 anos, 40% dizem não haver nenhuma segurança, seguido dos de 35 a 44 anos, com 38%.

A maioria dos eleitores (24%) que dizem ter medo de sair para votar devido ao coronavírus recebem até dois salários mínimos. Entre os que têm renda familiar mensal de mais de dez salários mínimos apenas 12% diz ter medo de ir às urnas.

A insegurança também é maior entre as mulheres e os negros. O índice de homens que se sentem nada seguros é de 26%, enquanto entre as mulheres o número sobe para 41%.

Considerando a cor de pele, os pretos e os pardos têm os menores índices dos que se sentem muito seguros (20% e 21%, respectivamente), e os brancos têm a maior taxa (27%).

O primeiro turno das eleições será realizado no dia 15 de novembro e o segundo no dia 29 de novembro.

A pesquisa ouviu presencialmente 1.092 eleitores nos dias 21 e 22 de setembro. A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem