Justiça

E-mails revelam ‘agendas privadas’ de Bolsonaro com ministros do STF

Compromissos fora da agenda oficial coincidem com investigações sensíveis e momentos de tensão entre Executivo e Judiciário

O ministro do STF Kassio Nunes Marques. Foto: Carlos Moura/SCO/STF
Apoie Siga-nos no

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) teve encontros fora da agenda oficial com três ministros do Supremo Tribunal Federal em 2022. 

André Mendonça, Gilmar Mendes e Kassio Nunes Marques foram recebidos pelo ex-capitão em datas que coincidem com investigações sensíveis e momentos de tensão entre Executivo e Judiciário. O registro das reuniões consta de e-mails da Presidência obtidos pela CPMI do 8 de Janeiro e revelados nesta segunda-feira 14 pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Um dos encontros, com a presença de Gilmar, aconteceu após Bolsonaro criticar decisões da corte que determinaram a prisão do ex-deputado federal Daniel Silveira. Na ocasião, o ex-presidente disse que os ministros precisavam atuar “dentro das quatro linhas” da Constituição. 

Questionado pelo jornal O Globo sobre o encontro com Bolsonaro, o decano do STF afirmou não se recordar do tema da reunião. 

“Sempre que pude, tive interlocução, mandava mensagem a ele tentando minimizar teorias conspiratórias. Algumas vezes estive com ele”, respondeu Gilmar.

Kassio Nunes também se encontrou com o ex-presidente, em 11 de maio. A agenda contou com a presença do então presidente do Superior Tribunal de Justiça, Humberto Martins, do senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) e de Vicente Santini, à época secretário nacional de Justiça.

No mesmo dia, o Ministério Público do Rio de Janeiro pediu ao STJ a anulação de uma denúncia contra Flávio no caso das “rachadinhas”. 

Um dia antes, o ministro Alexandre de Moraes havia determinado a tramitação em conjunto da investigação sobre os ataques de Bolsonaro contra as urnas eletrônicas e do inquérito que investiga a atuação de milícias digitais contra a democracia. 

Outra agenda com Kassio Nunes aconteceu em 12 de junho, um domingo. Na véspera, Bolsonaro participou de uma motociata em Orlando, nos Estados Unidos, com a presença do blogueiro foragido Allan dos Santos. 

O ministro, indicado pelo ex-presidente ao Supremo, afirmou que o encontro foi uma “visita de cortesia”. 

Em 28 de julho, Bolsonaro recebeu André Mendonça, também indicado por ele. À época, o ex-capitão sofria pressão, dias após realizar uma reunião com embaixadores na qual fez ataques ao sistema eleitoral. O episódio levaria à sua inelegibilidade, por decisão do Tribunal Superior Eleitoral. 

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo