Política

Deputados pedem afastamento de Bolsonaro e convocação de Torres após áudio de Ribeiro

Presidente foi citado por ex-ministro da Educação e pode ser investigado por suposta ‘interferência ilícita’

Foto: EVARISTO SA / AFP
Foto: EVARISTO SA / AFP
Apoie Siga-nos no

A bancada do PT na Câmara dos Deputados defende que o presidente Jair Bolsonaro (PL) seja afastado do cargo para ser investigado por suspeita de interferência na investigação que envolve o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro e pastores.

Em interceptação telefônica da Polícia Federal, o ex-titular da pasta afirmou em conversa com sua filha que Bolsonaro o teria alertado para uma possível operação de busca e apreensão. Na ligação, que durou pouco mais de três minutos, ele relevou que recebeu uma mensagem do presidente em 9 de junho, semanas antes de ser preso.

Para o deputado Paulo Teixeira (PT-SP), o caso configura obstrução de Justiça. “Queremos o afastamento do presidente para ser investigado”, afirmou a CartaCapital o parlamentar neste sábado 25. “É um crime comum cometido na vigência do mandato”.

No diálogo com a filha, Ribeiro disse estar preocupado com o ‘pressentimento’ de Bolsonaro sobre a operação de busca e apreensão.

“Hoje o presidente me ligou… ele tá com um pressentimento novamente de que eles podem querer atingi-lo através de mim. Sabe, é que eu tenho mandado versículos para ele, né?”, admitiu.  A filha então pergunta se Bolsonaro quer que ele pare de mandar mensagens. O ex-ministro nega e, então, esclarece o que o presidente quis dizer.

“Ele acha que vão querer fazer uma busca e apreensão em casa, sabe é muito triste. Bom, isso pode acontecer, né? Se houver indícios”, comenta o ex-ministro.

Após ser alertado pela Procuradoria da República no Distrito Federal sobre ‘possível interferência ilícita’ de Bolsonaro, o juiz Renato Coelho Borelli, da 15ª Vara Federal Criminal, decidiu devolver ao Supremo Tribunal Federal o inquérito da Operação Acesso Pago.

Em outra frente, os deputados petistas Rogério Correia (PT-MG), Reginaldo Lopes (PT-MG) e Bohn Gass (PT-RS) apresentaram um requerimento para a convocação do ministro da Justiça, Anderson Torres, e do diretor-geral da Polícia Federal, Márcio Nunes de Oliveira.

No documento, os parlamentares citam que o delegado que conduz as investigações, Bruno Calandrini, afirmou em mensagem que a as apurações foram “prejudicadas” em razão de tratamento privilegiado a Ribeiro e de interferência na cúpula da corporação.

“Qualquer interferência numa investigação dessa magnitude deve ser apurada com rigor e identificado os responsáveis e os interesses que foram privilegiados, que certamente não se confundem com o interesse público e com a seriedade que se espera em situações da espécie”, diz trecho do requerimento.

A divulgação da conversa entre o ex-ministro e sua filha fez reacender no Congresso Nacional o debate sobre a CPI do MEC. Na quinta-feira 23, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) conseguiu o número de assinaturas necessárias. Agora, parlamentares da oposição já cogitam, caso a comissão seja instalada, convocar Bolsonaro para depor.

Leia abaixo os requerimentos:

REQ-81-2022-CTASP
REQ-82-2022-CTASP

Alisson Matos

Alisson Matos
Editor do site de CartaCapital. Twitter: Alisson_Matos

Tags: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.