Danilo Gentili diz que Bolsonaro pediu por sua demissão no SBT

'Esse *** foi lá pedir minha cabeça e censura no meu emprego quando critiquei o fundão eleitoral', escreveu o humorista nas redes sociais

Entrevista ao Apresentador Danilo Gentili para o Programa The Noite do SBT, gravada dia 29 de maio. (Foto: Alan Santos/PR)

Entrevista ao Apresentador Danilo Gentili para o Programa The Noite do SBT, gravada dia 29 de maio. (Foto: Alan Santos/PR)

Política

O humorista e apresentador Danilo Gentili afirmou, por meio de uma resposta a apoiadores de Jair Bolsonaro nas redes sociais, que o presidente chegou a pedir para que o SBT o demitisse após criticar o governo.

“Saiba você que tomei processo por defendê-lo e esse *** foi lá pedir minha cabeça e censura no meu emprego quando critiquei o fundão eleitoral (e seu filho usa rede de difamação contra mim)”, escreveu o humorista em sua página no Instagram, onde também xingou o presidente de “mentiroso” em relação ao seu discurso sobre liberdade de expressão e “muitas coisas”.

No Twitter, Gentili compartilhou um print do comentário e incentivou que defensores do presidente o divulgasse nos “grupinhos” de WhatsApp, uma das estratégias difamatórias utilizadas pelos apoiadores de Bolsonaro.

O presidente chegou a ser um dos convidados do programa The Noite, apresentado por Gentili na emissora de Silvio Santos. Na ocasião, que foi gravada em maio de 2019, o presidente chegou a levar a camisa para mostrar a cicatriz da facada que levou na campanha eleitoral de 2018.

Gentili, até o ano passado, se mostrava entusiasta dos ideais propagados por Bolsonaro desde as eleições.

Relação Bolsonaro-SBT tem se fortalecido

O SBT é uma das emissoras que mantém enfaticamente o alinhamento ao governo Bolsonaro desde 2019. O genro do fundador Silvio Santos foi recentemente nomeado como ministro das Comunicações, uma pasta recriada para dar mais estrutura às campanhas favoráveis ao governo no Brasil e no exterior.

“Vamos ter alguém que, embora não seja profissional do setor, tem conhecimento até pela vida que ele tem junto à família do Silvio Santos. Minha intenção é essa: otimizar e botar o ministério para funcionar nessa área que estamos devendo há muito tempo, uma melhor informação”, afirmou o presidente com a escolha de Fábio Faria, também deputado pelo PSD-RN.

 

Além disso, Silvio Santos já direcionou uma nota interna aos funcionários do SBT na qual trata Bolsonaro como seu “patrão”: “Minha concessão de televisão pertence ao governo federal e eu jamais me colocaria contra qualquer decisão do meu ‘patrão’ que é dono da minha concessão. Nunca acreditei que um empregado ficasse contra o dono, ou ele aceita a opinião do chefe, ou então arranja outro emprego”, dizia a nota transcrita.

O recado era para que a cobertura jornalística da emissora sobre a crise do coronavírus se afastasse de viés político e focasse no factual, apesar dos frequentes desmandos de Bolsonaro em relação ao Ministério da Saúde, recomendações globais de distanciamento social e o uso indiscriminado da hidroxicloroquina.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem