Política

Conselho de Ética da Câmara abre processo contra Glauber Braga

Partido Novo pede a cassação do mandato do deputado após confusão com integrante do MBL

O deputado federal Glauber Braga (PSOL-RJ). Foto: Billy Boss/Câmara dos Deputados
Apoie Siga-nos no

O Conselho de Ética da Câmara abriu, nesta quarta-feira 14, um processo contra o deputado Glauber Braga (PSOL-RJ). A representação foi apresentada pelo partido Novo.

A sigla demanda que o colegiado avalie se o mandato de Glauber deve ser cassado por “violação às normas de decoro que exigem respeito e decoro nas interações”.

Recentemente, o deputado do PSOL discutiu com o influenciador Gabriel Costenaro, do Movimento Brasil Livre. Na ocasião, Glauber retirou Costenaro à força das dependências da Câmara, empurrando e desferindo chutes.

Eles tiveram de ser contidos pela Polícia Legislativa. Na sequência, o deputado Kim Kataguiri (União Brasil-SP) também discutiu com Glauber.

O caso aconteceu quando militantes do MBL foram à Câmara para uma atividade sobre a regulamentação do trabalho de motoristas por aplicativos. Em pronunciamento nas redes sociais logo após o episódio, Glauber disse que não se arrepende.

“É a quinta vez que esse sujeito me provoca”, sustentou o parlamentar. “Eles tentam nos intimidar, tentam, através do medo, fazer com que a gente recue, mas nós não vamos recuar para militante fascista.”

Agora, o Conselho de Ética deverá escolher um relator para o caso. O parecer a ser elaborado poderá sugerir ou não a cassação, mas a palavra final caberia ao plenário da Câmara.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo