Política

Brasil tem 487 mortes por Covid no dia em que Bolsonaro decreta luto por Olavo

A causa da morte do autoproclamado filósofo não foi divulgada, mas ele foi diagnosticado com Covid neste mês

O escritor Olavo de Carvalho. Foto: Reprodução/YouTube
O escritor Olavo de Carvalho. Foto: Reprodução/YouTube
Apoie Siga-nos no

O Brasil registrou 487 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, segundo o Conselho Nacional de Secretários de Saúde. A média móvel de óbitos, que leva em consideração os dados dos últimos sete dias, é de 332 (na véspera, era de 313).

O País, que sofre com o avanço da variante Ômicron, também contabilizou 183.722 novos casos da doença entre a segunda-feira 24 e esta terça 25, leando a média móvel a 157.060 – um recorde.

Desde o início da pandemia, o Brasil contabiliza 623.843 mortes pelo novo coronavírus.

O presidente Jair Bolsonaro se notabilizou, ao longo da crise sanitária, por não oferecer solidariedade às vítimas. Declarações como “e daí?” e “quer que eu faça o quê?” marcaram a atuação do ex-capitão.

Nesta terça, Bolsonaro decretou luto oficial de um dia pela morte do guru bolsonarista Olavo de Carvalho, que, a exemplo do presidente, acumulou práticas negacionistas, como sua defesa de medicamentos ineficazes, seus ataques a medidas para controlar a disseminação do vírus e sua ironia sobre a gravidade da doença.

“É declarado luto oficial em todo o País, por um dia, contado da data de publicação deste Decreto, em sinal de pesar pelo falecimento do Professor OLAVO LUIZ PIMENTEL DE CARVALHO”, diz o texto publicado em edição extra do Diário Oficial da União nesta quarta-feira 25.

Olavo morreu nesta terça aos 74 anos, nos Estados Unidos. A causa da morte não foi divulgada, mas o escritor foi diagnosticado com Covid-19 em 16 de janeiro.

Filha de Olavo, Heloísa de Carvalho diz que o pai morreu em decorrência da coronavírus. “Olavo morreu de Covid, não tem como eu sentir grande tristeza pela morte dele, mas também não estou feliz. Sendo sincera comigo e meus sentimentos”, escreveu nas redes.

Por sua vez, o médico particular do autoproclamado filósofo, Ahmed Youssif El Tassa, nega que a morte tenha sido provocada pela Covid. Ele afirma que o escritor morreu em decorrência de insuficiência respiratória aguda causada por quadro de enfisema pulmonar associado à insuficiência cardíaca congestiva, à pneumonia bacteriana e a uma infecção generalizada.

Olavo  era investigado no Brasil, suspeito de incentivar ‘desobediência civil’. Após um período internado em São Paulo, deixou o País “à francesa” ao saber que seria intimado pela Polícia Federal.

Leia o decreto publicado por Jair Bolsonaro:

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.