Política

‘Bolsonaro vai ter problema se não for reeleito’, diz ex-assessor da família após admitir rachadinha

Waldir Ferraz é amigo de Bolsonaro há mais de 30 anos e trabalhou no gabinete do ex-capitão e de Carlos Bolsonaro

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução
Apoie Siga-nos no

O marinheiro aposentado Waldir Ferraz, amigo pessoal de Jair Bolsonaro (PL) há mais de 30 anos e ex-assessor nos gabinetes da família, admitiu a existência do esquema de rachadinha do clã Bolsonaro. Em entrevista à revista Veja desta sexta-feira 21, o ‘Zero Zero’, como é chamado pelo ex-capitão, com quem mantém contato diário via WhatsApp, reafirmou que a ex-esposa Ana Cristina Siqueira Valle era quem comandava o desvio do salário dos funcionários de Jair e filhos.

Na entrevista, Ferraz diz a todo momento que Bolsonaro e os filhos não tinham conhecimento do esquema, que, segundo ele, funcionou desde os anos 1990. ‘Zero Zero’ defende que o ainda aliado só foi saber dos crimes cometidos pela ex-esposa após ser eleito presidente, em novembro de 2018. Eram eles, no entanto, que assinavam toda a documentação para que o esquema funcionasse desde quando Bolsonaro ainda era deputado federal.

“Ela [Ana Cristina Valle] fez nos três gabinetes. Em Brasília, aqui no Flávio e no Carlos. Ela que fazia, mas quem é que assinava? Quem assinava era ele [Jair Bolsonaro]. Ele vai dizer que não sabe? É batom na cueca. Como é que você vai explicar? Ele está administrando. Não tem muito o que fazer”, destacou Ferraz.

Vale ressaltar que Ferraz é um frequentador assíduo do Palácio do Planalto e do cercadinho. O marinheiro aposentado, que conhece Bolsonaro desde o Exército, não ocupa mais qualquer cargo oficial, mas integra o chamado ‘grupo de inteligência particular de Bolsonaro’, aliados responsáveis por alimentar o WhatsApp do presidente com ‘relatórios de suspeitas e denúncias’. É do grupo que nasce boa parte das teorias da conspiração alardeadas pelo ex-capitão. De acordo com Ferraz, troca mensagens diariamente com Bolsonaro ainda antes das 6 horas da manhã, quando encaminha ‘seu relatório’ no número pessoal do presidente.

Ainda sobre o esquema admitido, Ferraz confirma os detalhes já divulgados sobre o recolhimento de salários dos assessores e diz que Bolsonaro só soube quando as primeiras reportagens sobre a atuação de Fabrício Queiroz foram publicadas. Queiroz teria substituído Ana Cristina no comando da rachadinha e, de acordo com o Zero Zero, não teria informado nenhum dos integrantes do clã sobre o esquema. Até mesmo Ferraz admite ser ‘difícil convencer’ alguém de que o presidente e seus filhos não sabiam de nada.

“É como um beco sem saída. Ela fez uma m…, eles assinaram sem saber, e agora vão pagar caro por isso. Acho que ele vai ter problema se não for reeleito. Vai tudo cair, vai perder o foro privilegiado e tal”, avalia o ex-marinheiro.

“Ela é muito perigosa. É uma mulher que quer dinheiro a todo custo. Às vezes, ela vai ao cercadinho, frequenta o cercadinho. É uma forma de chantagem, lógico que é chantagem. A gente nem toca nesse assunto pra não deixar o cara de cabeça quente”, diz ele sobre Ana Cristina, que concorreu às eleições de 2018 com a alcunha de Ana Bolsonaro, mas não foi eleita. Ela é mãe do ‘filho zero quatro’, o Jair Renan, e atualmente mora em uma mansão em Brasília. A mudança dela para o imóvel está sob suspeita.

Procurada, Ana Cristina negou o esquema e disse que acusações partiriam de inimigos para atingir o clã Bolsonaro. Como se vê, no entanto, o esquema é admitido por um atual aliado do presidente. Na sua defesa, no entanto, ela coloca em xeque a tese defendida por Ferraz de que os Bolsonaros não saberiam o que acontecia em seus próprios gabinetes.

“Não sou mentora da rachadinha. Ele [Bolsonaro] me chamava de sargentona, mas quem mandava no gabinete era ele. Quem assina as nomeações e exonerações é o parlamentar. Não faz sentido assinar sem ler porque todos eles são bem instruídos”, disse a ex-esposa de Jair.

Sobre a acusação de chantagem, ela afirma:

“Se eu tiver que falar com o presidente, acha que eu vou para o cercadinho para todo mundo ficar vendo, para jornalista ficar vendo? Sou discreta”.

CartaCapital

CartaCapital Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.