Apresentador bolsonarista recebeu R$ 120 mil em cachê do governo

Quantia embolsada pelo apresentador Sikeira Jr. consta em documento entregue pela Secom à CPI da Covid

O apresentador Sikêra Junior entrevistou o presidente Jair Bolsonaro. Foto: Reprodução/RedeTV!

O apresentador Sikêra Junior entrevistou o presidente Jair Bolsonaro. Foto: Reprodução/RedeTV!

Política

O governo federal repassou 120 mil reais de verbas públicas em cachê para o apresentador bolsonarista Sikêra Jr., da Rede TV!.

A informação, divulgada pelo jornal Folha de S. Paulo, consta em um documento entregue à CPI da Covid pela Secretaria Especial de Comunicação Social, a Secom, liderada à época por Fabio Wajngarten.

O valor foi pago em sete repasses do governo federal à empresa José Siqueira Barros Junior Produções, que pertence ao apresentador. Os depósitos foram feitos entre dezembro de 2020 e abril de deste ano. Segundo consta no documento, os sete pagamentos são referentes à participação de Sikeira Jr. em campanhas publicitárias do governo.

 

As campanhas

Entre as campanhas pelas quais o apresentador recebeu estão duas que tratam da Covid-19. A primeira, uma defesa dos ‘cuidados precoces’, pela qual recebeu 24 mil reais. Em outra campanha intitulada “Semana Brasil 2020”, Sikeira Jr. foi um dos responsáveis por ‘celebrar’ uma suposta ‘retomada, com segurança, da economia e dos empregos’.

Sikeira Jr. ainda recebeu mais 24 mil pelo lançamento da cédula de 200 reais; 8 mil reais pela campanha de combate ao mosquito da dengue; 20 mil reais para alertar de riscos de exposição de crianças pela internet; outros 20 mil para tratar da Semana Nacional do Trânsito; e mais 8 mil reais pela campanha ‘Uso Consciente de Energia e Água’.

Sikeira Jr. é um dos principais defensores de Bolsonaro na TV aberta e tornou- se alvo de ação do MPF por dano moral coletivo decorrente de discurso de ódio às mulheres, como revelou a reportagem recente de CartaCapital.

As propagandas do governo federal são investigadas pela CPI da Covid por suspeitas de terem sido pagas com dinheiro que deveria ser usado para custear ações de enfrentamento da pandemia.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem