Após repercussão negativa, Bolsonaro apaga vídeo em que nominava inimigos

Vídeo havia repercutido amplamente nas redes sociais na tarde desta segunda-feira 28, mas não durou muito mais que uma hora. Assista:

Presidente Jair Bolsonaro. 
Foto: Clauber Cleber Caetano/PR

Presidente Jair Bolsonaro. Foto: Clauber Cleber Caetano/PR

Política

Após repercussão negativa, o presidente Jair Bolsonaro apagou o vídeo em que comparava inimigos a hienas que cercam um leão – que seria ele mesmo, no caso. O conteúdo durou um pouco mais de uma hora nas redes sociais públicas do presidente.

Na publicação original, Bolsonaro havia escrito: “”Chile, Argentina, Bolívia, Peru, Equador… Mais que a vida, a nossa LIBERDADE. Brasil acima de tudo! Deus acima de todos!”. Assista ao vídeo completo abaixo:

Há citações para o PT, o PSL, o PDT, o PSOL, o PCdoB e o PSDB no mesmo contexto de inimigos do governo. Na questão dos movimentos sociais e entidades civis, estão a Força Sindical, o MBL, o feminismo (representado pelo símbolo da Vênus), o Greenpeace, a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) e a CUT (Central Única dos Trabalhadores).

A mídia também entre nessa lista. Folha de S. Paulo, Estadão, Veja, Globo e Jovem Pan são citadas. Para finalizar, há também menção à Lei Rouanet, ao Supremo Tribunal Federak, à ONU, à OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e ao eleitor “isentão”.

Logo após a publicação, o presidente foi criticado por seguidores por colocar instituições do Estado democrático como “ameaças” ao seu governo.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem