Após postar vídeo obsceno, Bolsonaro pergunta o que é “golden shower”

O presidente criticou o Carnaval por meio de um vídeo com cenas obscenas ocorridas durante bloco no centro de São Paulo

Wilson Dias/Agência Brasil

Wilson Dias/Agência Brasil

Política,Sociedade

Após causar polêmica usando as redes sociais para postar vídeo com cenas obscenas e assim criticar o Carnaval, o presidente Jair Bolsonaro voltou ao Twitter nesta quarta-feira 6 para perguntar o que era “golden shower”. A expressão em inglês que significa “chuva dourada” é uma prática sexual na qual uma pessoa urina na outra.

Na terça-feira 5, o presidente criticou o Carnaval por meio de um vídeo com cenas obscenas ocorridas durante bloco no centro de São Paulo. Nele, duas pessoas estão em cima de um ponto de táxi durante a passagem do bloco “Blocu”. Enquanto dançam, uma das pessoas urina na cabeça da outra.

Leia também: "Bolsonaro é o próprio túmulo do Carnaval", diz historiador

“Não me sinto confortável em mostrar, mas temos que expor a verdade para a população ter conhecimento e sempre tomar suas prioridades. É isto que tem virado muitos blocos de rua no carnaval brasileiro. Comentem e tirem suas conslusões:”, disse o presidente na legenda do vídeo.

O fato do presidente de um país postar um vídeo com cenas obscenas criticando a maior festa popular que existe, causou repercussão nacional e internacional. Neste momento, a hashtag #ImpeachmentBolsonaro já é um dos assuntos mais comentados nas redes sociais.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem