Política

cadastre-se e leia

A visão de católicos e evangélicos sobre o terceiro mandato de Lula, segundo pesquisa CNT

O levantamento conta com 2.002 entrevistas presenciais e foi realizado entre os dias 1º e 5 de maio

Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante Entrevista a emissoras de rádio, na Sede da Empresa Brasil de Comunicação, Brasília - DF. Foto: Ricardo Stuckert / PR
Apoie Siga-nos no

O governo liderado pelo presidente Lula (PT) segue tendo melhor desempenho entre eleitores católicos do que entre os eleitores evangélicos. A conclusão pode ser vista nos resultados estratificados da nova pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT), em parceria com o instituto MDA, divulgada nesta terça-feira 7.

Segundo o levantamento, a gestão de Lula é classificada como ‘boa ou ótima’ por 41% dos eleitores católicos. Fazem a mesma afirmação apenas 30% dos brasileiros que se declaram evangélicos.

Na ponta dos que marcam avaliação ‘ruim ou péssima’ ao governo petista estão 27% dos católicos e 37% dos evangélicos. O grupo que faz avaliação ‘regular’ da atual gestão é de 31% nos dois casos.

A pesquisa monitorou, ainda, o desempenho pessoal de Lula entre estes mesmos eleitores. Aqui, a figura individual do presidente é aprovada por 55% dos católicos e por 42% dos evangélicos.

Os que reprovam a figura individual do petista são 39% dos católicos e 52% dos evangélicos. A parcela que não sabe ou não quis responder é pequena: 5% do primeiro grupo e 6% no segundo.

Por fim, as conclusões se repetem no recorte do levantamento que compara o governo Lula com a gestão de Jair Bolsonaro (PL). Nesse caso, são 49% dos católicos que consideram o governo do petista melhor do que o do ex-capitão. Evangélicos que concordam com essa afirmação somam 34%.

A parcela que considera Lula pior do que Bolsonaro é de 28% entre católicos e 41% entre os evangélicos. 22% de cada um dos grupos de eleitores considera que os dois governos são exatamente iguais.

Os dados refletem um cenário parecido com o capturado em outros levantamentos que, vale dizer, eram captados também no período eleitoral. Desde então, Lula faz acenos a pastores e integrantes da bancada evangélica. Uma mudança nas peças de publicidade da sua gestão, que passaram a conter a palavra ‘Fé’, também foi realizada no final do primeiro ano de mandato. Não é incomum, também, ouvir Lula citar termos como milagre e Deus quando está em locais com a predominância de um público evangélico.

Na prática, as alterações citadas, no entanto, ainda não surtiram grandes variações nas pesquisas, como se vê no levantamento da CNT desta terça-feira.

Os dados de eleitores evangélicos e católicos, importante ainda frisar, são apenas um recorte de uma pesquisa geral realizada pela Confederação Nacional do Transporte. No resultado global, Lula tem 37,4% de avaliações positivas e 30,5% de avaliações negativas. A figura individual do petista é aprovada por 50,7% de toda a população e reprovada por 43,7%.

A pesquisa CNT desta terça-feira foi feita com 2.002 entrevistas presenciais, realizadas entre os dias 1º e 5 de maio. Nos cenários gerais, a margem de erro do levantamento é de 2,2 pontos percentuais e o índice de confiança é de 95%.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo