Alberto Villas

[email protected]

Jornalista e escritor, edita a newsletter 'O Sol' e está escrevendo o livro 'O ano em que você nasceu'

Opinião

As quatro estações

Aqui, ficamos sabendo que mudou de estação porque o telejornal anuncia. Faz frio no verão e faz calor no inverno

Foto: Pixabay/Domínio Público
Apoie Siga-nos no

Não, não estou falando da obra-prima de Antonio Vivaldi. Estou falando das quatro estações do ano que vivemos aqui no país tropical.

Morro de saudade dos anos de exílio quando verão era verão, outono era outono, inverno era inverno e primavera era primavera.

Aqui, ficamos sabendo que mudou de estação porque o telejornal anuncia. Faz frio no verão e faz calor no inverno.

Cheguei em Paris no auge do inverno. Não tinha uma mísera folha nas árvores das ruas. Marinheiro de primeira viagem, achei que estavam mortas, esturricadas pelo frio.

Até que, quando chegou abril, os brotinhos verdes começaram a despontar em todas elas. Em poucos dias de primavera, a cidade estava uma beleza, com mil tons de verde por todos os lados.

Aquele inverno rigoroso havia passado e vivíamos a felicidade tipo quem viver verão.

Os franceses colocavam as manguinhas de fora e já davam as primeiras lambidas no sorvete Berthillon. O sol ainda era fraco, mas todos deitavam nas gramas dos jardins para aproveitar cada raio.

Quando o verão chegava, nenhuma possibilidade de frio. Era verão. Muitas lojas fechavam para férias e as estradas para o litoral, para a Costa Brava, ficavam entupidas. Os voos para a Grécia estavam todos esgotados porque era verão.

Na primavera, a cidade cobria-se de flores. As estufas do Jardim de Luxemburgo eram abertas e víamos flores de todos os tipos e cores.

Dava gosto viver cada uma das quatro estações. Era engraçado ver clarear o dia às nove horas da manhã no inverno e ver escurecer às dez da noite no verão.

Aqui, não. Dizem que o outono começou na semana passada, mas eu não vejo nem uma folhinha dourada no chão. Nem uma pra contar história.

Este texto não representa, necessariamente, a opinião de CartaCapital.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo